Haddad: Dubeux na Petrobras é mais uma forma de Fazenda potencializar companhias e ministério

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que a indicação de Rafael Dubeux para um assento no conselho de administração da Petrobras é mais uma forma de a pasta ocupar empresas e ministérios para fazer circular informações importantes na área de sustentabilidade. Dubeux é secretário-executivo-adjunto da Fazenda e seu nome foi escolhido após uma reunião de Haddad e a empresa no Palácio do Planalto. Haddad disse acreditar que a aprovação do nome será feita "em breve".

"A Fazenda, desde o começo do ano passado, tem procurado estar presente nos ministérios, ou empresas, que tenham um diálogo forte de informação ecológica, no sentido de oferecer subsídios e aprender para fazer aquela informação circular pelo governo", argumentou o ministro a jornalistas ao deixar o seminário "Descarbonização: Rumo à Mobilidade de Baixo Carbono no Brasil", realizado pelo Esfera Brasil e MBCBrasil, em Brasília.

E continuou: "A Petrobras tem de dialogar com a MCTI, que tem de dialogar com o Fundo Clima, que está em outro ministério e que tem de dialogar com o Ministério das Minas e Energia, que tem de dialogar com o Ministério do Meio Ambiente. Então, se esses atores não estiverem integrados e coordenados em torno de um plano, o potencial desse plano vai ficar diminuído."

De acordo com o ministro, se forem integrados todos esses atores em torno de um plano de transformação ecológica, cada real investido vai ser potencializado. "O nosso esforço na Fazenda é potencializar o que os ministérios fariam isoladamente, coordenar as ações, não do ponto de vista de quem manda ou deixa de mandar, mas do ponto de vista de fazer a informação circular e, em caso de necessidade, levar ao presidente da República para uma decisão final", explicou.

Para Haddad, em breve o nome de Dubeux, que já deve estar na Casa Civil, deve ser aprovado. "Tem aquela documentação de praxe, quando você vai assumir um assento em conselho, mas eu acredito que foi muito bem recebido o nome dele, até porque ele é uma pessoa muito técnica, que já passou por vários cargos públicos, é de carreira da AGU, está trabalhando no sistema, é doutor nesta área, tem doutorado nesta área e vai lá só para colaborar, só para ajudar", disse.