Além de Congonhas, investimentos da Aena contemplam aeroportos no MS, Pará e MG

Além de São Paulo, com Congonhas, os investimentos anunciados nesta segunda-feira, 25, pela concessionária espanhola Aena irão contemplar mais 10 aeroportos localizados no Mato Grosso do Sul, Pará e Minas Gerais. Esses receberão cerca de R$ 2,5 bilhões dos R$ 4,5 bilhões totais a serem aportados pela concessionária espanhola, já que mais de R$ 2 bilhões serão direcionados ao aeroporto paulista.

A Aena não detalhou como esses R$ 2,5 bilhões serão divididos entre os aeroportos de Campo Grande (MS), Corumbá (MS), Ponta Porã (MS), Altamira (PA), Carajás (PA), Marabá (PA), Santarém (PA), Montes Claros (MG), Uberlândia (MG) e Uberaba (MG), todos arrematados na sétima rodada de concessões, promovida em 2022.

No entanto, a concessionária informou que todos terão aumento da capacidade operacional, com ampliação da área construída dos terminais de passageiros, requalificação das pistas, implantação de faixas de segurança e de áreas de escape nas cabeceiras.

De acordo com as necessidades de cada aeródromo, haverá nova habilitação de aproximação de aeronaves e outros recursos para reforçar pousos e decolagens. Também estão previstas intervenções nos pátios, com novas posições para estacionamento de aeronaves, quando necessário.

Além das obras, a companhia também programa aportes em tecnologia, sistemas, novos equipamentos e num novo mix comercial, para melhorar as experiências de viagem.

Enquanto as obras de Congonhas estão previstas para acabar em meados de 2028, por causa da maior complexidade, as melhorias nesses demais aeroportos devem estar prontas até metade de 2026.