IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

12/08/2019 08h37

Confira as cinco principais notícias desta segunda-feira, 12 de agosto, sobre os mercados financeiros:
1. Futuros de Wall Street recuam após as declarações da China sobre Hong Kong
Os índices futuros de Wall Street reverteram os ganhos depois que a China atacou os protestos em Hong Kong, aumentando o sentimento de risco sobre as preocupações de Pequim usar a força para restaurar a ordem.
O escritório chinês de Hong Kong e de Macau, com sede em Pequim, insistiu que Hong Kong está em um "momento crítico" depois de dois meses de protestos de rua contra o governo e insistiu que a violência deve parar, segundo a Reuters.
O aeroporto internacional de Hong Kong cancelou todos os vôos pelo resto do dia.
Protestos cada vez mais violentos no centro financeiro asiático entraram em sua décima semana e a crise política é considerada um dos desafios mais fortes durante o mandato do líder chinês Xi Jinping.
2. Iuan fixado mais fraco do que 7 por dólar
O Banco Popular da China definiu a referência oficial para o iuan em 7,0211 por dólar na segunda-feira, mais fraco do que o patamar da sexta-feira passada, mas mais forte do que o 7,0331 esperado pelos analistas, segundo a Reuters.
Os mercados vêm acompanhando de perto a taxa de câmbio depois que a moeda chinesa se depreciou na semana passada, após ficar acima do nível psicológico de 7 por dólar pela primeira vez desde 2008.
O Tesouro dos EUA respondeu à medida rotulando a China como uma manipuladora de moeda, em meio a crescentes tensões comerciais entre Washington e Pequim.
3. O rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA com vencimento em 10 anos cai abaixo de 1,7%
Como a incerteza reina em meio ao atual conflito comercial EUA-China e à desaceleração da economia global, os desenvolvimentos em Hong Kong parecem aumentar a demanda por títulos do governo.
O rendimento do Tesouro dos 10 anos dos EUA recuou abaixo de 1,7%, embora ainda esteja muito longe dos 1,595% vistos na semana passada, seu nível mais baixo desde outubro de 2016.
O título com rendimento de 10 anos permanece abaixo dos 2% em relação à nota de 3 meses, um fenômeno conhecido como curva de rendimentos invertida que alguns economistas consideram um indicador precoce de recessão.
O Goldman Sachs disse no domingo que os temores da guerra comercial entre EUA e China que levem a uma recessão estão aumentando.
4. Líderes italianos se encontrarão enquanto Salvini nega planos de deixar o euro
O líder da Liga italiana, Matteo Salvini, que desistiu da coalizão de governo e pediu uma eleição antecipada, buscou acalmar os mercados, dizendo que não estava fazendo nenhum plano para deixar o euro.
O partido de Salvini apresentou uma moção de desconfiança que ele espera que leve a eleições antecipadas e o estabeleça como o novo líder da Itália.
Salvini espera impulsionar a moção já nesta semana, embora os partidos da oposição pareçam ter preferência por 19 e 20 de agosto.
Os líderes dos partidos políticos italianos no Senado devem se reunir na segunda-feira para definir o cronograma.
5. Saudi Aramco compra 20% da Reliance da Índia
A Saudi Aramco está comprando uma participação de 20%, avaliada em US$ 15 bilhões, no negócio de petróleo e produtos químicos da Reliance Industries, na Índia, enquanto a empresa avança com planos para lançar uma oferta inicial de ações.
O anúncio surge no momento em que a Aramco reportou uma queda de mais de 10% nos lucros líquidos do primeiro semestre, para US$ 46,9 bilhões, o que atribuiu à queda dos preços do petróleo.
A Aramco também fará sua primeira teleconferência de resultados às 10h00, enquanto a estatal tenta aumentar a transparência antes da IPO que o Wall Street Journal informou que poderia ser lançado no próximo ano.
-A Reuters contribuiu para esta matéria.

Mais Economia