PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Ibovespa em leve alta com agenda vazia; prévia do IGP-M de dezembro sobe forte

18/12/2019 11h11

A sessão desta quarta-feira é marcada pelo andamento de lado do mercado acionário e confirmação do viés de alta dos juros futuros após divulgação da prévia do IGP-M de dezembro. O Ibovespa opera com leve alta de 0,12% a 112.752 pontos, com a mínima em 112.299 pontos e máxima de 112.796. Já o dólar opera em queda de 0,33% R$ 4,0582.

No cenário doméstico, a segunda prévia de dezembro do Índice-Geral de Preços-Mercado (IGP-M) subiu 2,06%, acima de 1,83% da mediana dos analistas ouvidos pela Bloomberg. O preço da carne bovina foi a grande vilã, acelerando alta de 4,27% em novembro para 22,01% no Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) e de 2,60% para 15,40% no Índice de Preços ao Consumidor.

A aceleração inflacionária justifica os ajustes nos juros futuros ocorrido no pregão de ontem, após ata do Copom reforçar cautela no prosseguimento de redução da taxa Selic nas próximas reuniões. Hoje, os juros DIs com vencimento em fevereiro de 2020 operam com alta de 1 ponto-base a 4,406%, enquanto o DI com vencimento em janeiro de 2021 com queda de 3 pontos-base a 4,62%.

A ata do Copom deixou em aberto se continua ou interrompe a flexibilização monetária na reunião de fevereiro. Analistas da Guide Investimentos avaliam que a ata freou as apostas de mais um corte no ano que vem. "Ao enunciar três diferentes fatores que podem elevar a inflação, e apenas um que pode diminuí-la, o BCB adotou uma postura mais hawkish com relação à dinâmica de preços", afirmam os analistas em relatório enviado a clientes, projetando ser menos provável o corte previsto para fevereiro.

Para André Perfeito, economista-chefe da Necton Investimentos, a segunda prévia do IGP-M de dezembro deve encerrar a discussão sobre eventual corte da Selic em fevereiro. "O índice geral da FGV, que por motivos bastantes peculiares é o "corretor" de aluguéis no Brasil mesmo sendo um índice sensível ao dólar, está em alta de 7,27% em 12 meses e sugere que teremos uma inflação mais elevada no início do ano", afirma o economista, que avalia que o choque de curto prazo do preço de proteína pode ter um impacto maior devido aos contratos indexados ao IGP-M, o que pode influenciar na diminuição da leitura de corte da Selic.

Política

O Ministério Público do Rio de Janeiro cumpre diversos mandados de busca e apreensão contra ex-assessores do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) em investigações sobre lavagem de dinheiro e peculato (desvio de dinheiro público). O âmbito das investigações é o período em que Flávio era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Entre os alvo, estão o ex-assessor Fabrício Queiroz, ex-chefe de segurança de Flávio, e parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, pai de Flavio.

Orçamento 2020

O plenário do Congresso Nacional aprovou na noite de terça-feira a peça orçamentária de 2020 e encaminhou o texto para sanção presidencial. A meta de déficit primário do governo central ficou em 124,1 bilhões de reais. O orçamento fixou um salário mínimo de R$ 1.031 a partir de janeiro, sem aumento real (acima da inflação) em relação ao valor atual, de R$ 998. Contudo, o valor final do mínimo é fixado por um decreto presidencial.

O texto aprovado prevê um orçamento de 3,867 trilhões de reais, tendo sido reservadoS 121,5 bilhões de reais para investimento na máquina pública e 917,1 bilhões para refinanciamento da dívida pública.

Caso a PEC Emergencial seja aprovada pelo Congresso em 2020, o Tesouro Nacional vai conseguir economizar por volta de R$ 6 bilhões.

Saneamento Básico

A Câmara dos Deputados concluiu nesta terça-feira a votação de projeto que atualiza o marco legal do saneamento básico, proposta encarada pelo governo como chave para a entrada de investimentos no país.

A matéria, que facilita a privatização das empresas do setor e passa a exigir licitação para a contratação do serviço de saneamento, segue ao Senado Federal.

Deputados já haviam aprovado o texto principal da proposta na semana passada, abrindo a possibilidade de renovação de contratos das empresas públicas estaduais até 2022, por mais 30 anos antes da abertura à concorrência privada, o que foi encarado com preocupação por parte do setor.

Para a XP Investimentos, apesar dos avanços, a velocidade para aprovação do projeto de lei devido ao ano legislativo mais curto no ano que vem (com recesso prolongado e eleições municipais) e riscos de atrasos da tramitação no Senado Federal. A corretora recomenda cautela com nomes como Sabesp (SA:SBSP3) e Copasa (SA:CSMG3), que negociam com base em expectativas de privatização.

Os papéis das companhias de saneamento básico listados na B3 operam em baixa. Sabesp (SA:SBSP3) cai 0,65% a R$ 57,75, Sanepar (SA:SAPR11) perde 0,43% a R$ 94,54 e Copasa (SA:CSMG3) recua 0,46% a 64,25% às 10h48.

Fras-le

A Fras-le assinou contrato para adquirir a fabricante de autopeças Nakata Automotiva por R$ 457 milhões.

A aquisição é parte da estratégia da companhia de reforçar sua participação no mercado de reposição de autopeças com aumento no portfólio de produtos.

Os papéis da companhia saltam 20% a R$ 6,12.

Notre Dame

A Notre Dame Intermédica (SA:GNDI3) comprou a operadora de saúde Ecole Serviços Médicos por R$ 49 milhões. "Com a ransação, a Companhia demonstra a intenção em manter sua estratégia de crescimento no Estado de São Paulo", escreveu a Notre Dame Intermédica em nota.

As ações sobem 0,84% a R$ 63,53.

Marfrig (SA:MRFG3)

A Marfrig (SA:MRFG3) informou na noite de terça-feira que precificou em 10 reais sua oferta pública de ações primária e secundária, o que elevará seu capital em cerca de 900 milhões de reais. A operação conta na oferta secundária com venda de ações em poder do BNDESPar - braço de investimentos em empresas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os recursos da oferta primária serão usados para pré-pagamento de dívidas.

Os papéis do frigorífico caem 4,77% a R$ 10,19, liderando as perdas do Ibovespa.

Unidas

A Unidas informou na noite de terça-feira que precificou em 19,50 reais sua oferta pública primária e secundária de ações, levantando cerca de 1,2 bilhão de reais na operação. A oferta havia sido anunciada em 9 de dezembro, envolvendo distribuição primária de 61 milhões de ações e 32.808.782 de papéis na secundária, detidas pela Principal – Gestão de Activos e Consultoria Administrativa e Financeira.

A Unidas disse que os recursos da oferta primária serão destinados para aquisição de novos veículos para aumentar a frota no segmento de aluguel de veículos (RAC), compra de veículos relacionados com os novos contratos vendidos de terceirização de frotas (TF) e o aprimoramento de tecnologias.

A oferta é coordenada por Itaú BBA, Citi, JPMorgan, Bradesco BBI, BTG Pactual (SA:SA:BPAC11) e XP Investimentos.

As ações da companhia sobem 2,43% a R$ 20,24.

Eletrobras (SA:ELET3)

Nos primeiros negócios da manhã desta quarta-feira, as ações da Eletrobras (SA:ELET3) são negociadas com importante desvalorização. O mercado reage à notícia publicada pelo Valor Econômico destacando que a privatização da estatal perdeu força no Congresso Nacional.

Com isso, por volta das 10h40, os papéis da estatal perdiam 3,26% a R$ 34,76.

De acordo com a reportagem, presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está esperando uma atuação de nomes do governo para convencer os senadores da importância da venda da companhia, para só depois dar andamento ao projeto. Há resistência entre os senadores em avanças com a medida.

A proposta do governo foi enviada no mês passado e não chegou a tramitar neste ano e prevê a realização de uma capitalização da estatal, sem a participação do governo. Isso faria com que as ações fossem diluídas fazendo com que ficasse com menos de 50%.

O modelo não prevê uma "golden share", ação que dá direito a veto a certas decisões, como venda de fatias da empresa, por exemplo.