Bolsas

Câmbio

GroupM: publicidade mundial deve chegar a US$ 547 bilhões em 2017

GroupM

Os dados abaixo são de responsabilidade das empresas envolvidas e não são produto jornalístico do UOL

Baixo crescimento do PIB e outros fatores forçam os anunciantes a fazerem mais com menos

Anunciantes mantêm o orçamento mesmo com a incerteza da eleição de Trump e da saída do Reino Unido da União Europeia

Os mercados de crescimento mais acelerado e a mídia digital continuam sendo os principais responsáveis pelo crescimento

LONDRES e NOVA YORK, 5 de dezembro de 2016 /PRNewswire/ -- O GroupM da WPP, principal grupo de investimento em mídia do mundo, confirmou hoje sua previsão global de despesas com publicidade em 2016 e divulgou sua perspectiva revisada para 2017. Vários fatores econômicos no mundo todo indicam que será um ano de crescimento modesto na publicidade, pois as marcas continuam a ser pressionadas a terem um bom desempenho em ambientes com pouco crescimento. Apesar da incerteza relacionada ao resultado das eleições presidenciais nos EUA e do referendo para a saída do Reino Unido da União Europeia, os orçamentos de publicidade ainda não foram afetados. A China e outros países do "novo mundo" continuam contribuindo muito para o crescimento global, mas um novo tipo de crescimento, normal e mais modesto, foi estabelecido. A publicidade digital continua sendo a principal beneficiada com o crescimento.

Logo - http://photos.prnewswire.com/prnh/20151103/283547LOGO

O orçamento de publicidade previsto para 2017 é de US$ 547 bilhões (+ 4,4%), e a publicidade digital deve representar 33% desse total. Em 2016, a publicidade digital ficou com 72 centavos de cada dólar (USD) gasto em publicidade, e a TV ficou com 21 centavos. Em 2017, a publicidade digital ficará com 77 centavos de cada dólar, e a TV ficará com 17 centavos. Os EUA e a China representam a metade do crescimento líquido total de 2016 e 2017, com a China apresentando uma estreita vantagem sobre os EUA.

Milhares de USD em mídia, preços atuais



2015

2016f

2017f

AMÉRICA DO NORTE

183.049

188.675

193.655

% anual

1,8

3,1

2,6

dos quais os USA

173.311

178.839

183.523

% anual

1,8

3,2

2,6

AMÉRICA LATINA

34.717

36.412

38.772

% anual

7,7

4,9

6,5

EUROPA OCIDENTAL

88.817

92.062

94.847

% anual

2,9

3,7

3,0

EUROPA ORIENTAL E CENTRAL

12.472

13.456

14.521

% anual

-1,4

7,9

7,9

ÁSIA-PACÍFICO (todos)

166.793

176.422

187.492

% anual

5,9

5,8

6,3

dos quais a China

74.151

80.034

86.275

% anual

7,8

7,9

7,8

ORIENTE MÉDIO E ÁFRICA

16.952

17.468

18.085

% anual

8,2

3,0

3,5

MUNDO

502.799

524.495

547.371

% anual

3,8

4,3

4,4

 

Com um crescimento no fim do ano, o GroupM China apresenta +7,8%, comparado com 6,6% previsto anteriormente. A publicidade de bens de consumo de alto giro aumentou 4,6% no segundo trimestre, comparado com o ano anterior, muito mais rápido do que o crescimento previsto de 2,0%. A urbanização contínua e a sólida confiança do consumidor deram um grande apoio ao crescimento continuado, mas a China não apresenta mais taxas de dois dígitos, como ocorria há pouco tempo. Saindo do pico de crescimento, o GroupM prevê que a publicidade digital na China cresça 29,5% em 2016, mas esse crescimento deve cair para 21,5% no próximo ano.

Os EUA continuam sendo outro país importante que contribui para o crescimento. O GroupM atualiza o crescimento de 2016 de 3,1% para 3,2%. Isso inclui revisar o crescimento da TV de 3,4% para 4,1%, um crescimento igual ao dos anos que precederam as eleições (2012, 2014). Os gastos menos robustos com as eleições deste ano foram compensados pela demanda dos Jogos Olímpicos de verão. Houve um pequeno redirecionamento de orçamentos da publicidade digital para a TV, principalmente pelos setores farmacêutico e de bens de consumo embalados. Para 2017, o GroupM diminuirá o crescimento para 2,6%, com base no fraco crescimento do PIB global e dos EUA, além da incerteza política que ainda não afetou os orçamentos.

A votação para a saída do Reino Unido da União Europeia afetou o mercado financeiro, mas, até o momento, ainda não afetou a publicidade. Recentemente, o GroupM revisou sua previsão para o Reino Unido para até 7% ao ano, impulsionada pela publicidade digital, apresentando um investimento extra esperado de US$ 3,0 bilhões nos dois anos (2016 e 2017). Isso comparado com os US$ 3,3 bilhões do resto da UE junta.

Entre os outros países do BRICS, o GroupM observa que o Brasil está saindo de uma recessão, depois de colher os benefícios dos Jogos Olímpicos. Houve um aumento da adoção digital, principalmente nos telefones celulares. Desde o começo do ano, o número de usuários de celulares aumentou 22% e chegou a 74 milhões. Prevê-se um crescimento modesto de 2% na publicidade em 2017, o suficiente para manter o Brasil em quinto lugar na economia de publicidade mundial (EUA, China, Japão, Reino Unido, Brasil, Alemanha).

A Índia continua sendo o mercado com crescimento mais acelerado do mundo, entre os mercados de publicidade de mais de US$ 10 bilhões. Foi previsto um crescimento de 13,8% em 2016 e de 12,5% em 2017, com uma economia impulsionada por taxas de juros baixas, demanda urbana constante e o impacto de importantes reformas.

A recuperação rápida da Rússia desde o primeiro trimestre continua, impulsionando a revisão da previsão de 2016 para até 9,5%. O aumento da demanda pela TV no T4 e o aumento da busca paga foram os principais fatores que contribuíram para esse crescimento. Embora mais da metade da demanda de busca paga venha de pequenas empresas que não conseguem pagar outros tipos de mídia, a demanda de anunciantes maiores também é alta. Prevê-se um crescimento de 10% em 2017, impulsionado pela TV e pela internet.

A inteligência de previsão baseia-se nos recursos mundiais da WPP em publicidade, relações públicas, pesquisa de mercado e comunicações especializadas e é publicada pelo diretor de futuros do GroupM, Adam Smith, em This Year, Next Year. "O crescimento da publicidade acompanha a longa, lenta e firme recuperação da economia mundial desde 2010. Essas novas previsões enfatizam que a história da publicidade da nossa época é estrutural, não cíclica. Vinte anos após a internet se tornar um meio de publicidade moderado, o meio digital continua sendo o motor para o crescimento da publicidade e o fator que mais mexe com a economia de marketing", afirmou Smith. "Isso multiplica as opções, oportunidades e riscos. Nunca foi tão importante para os anunciantes ter autonomia e diligência."

Sobre o GroupM

O GroupM é o principal grupo de gestão de investimentos em mídia global, que atua como matriz das agências de comunicação da WPP, entre elas Mindshare, MEC, MediaCom, Maxus, Essence e m/SIX, bem como a plataforma de mídia digital programática Xaxis, todas com operações globais com direito próprio e posições de liderança no mercado. O principal objetivo do GroupM é maximizar o desempenho das agências de comunicação da WPP ao operar como líder e colaborador em comércio, criação de conteúdo, esportes, serviços digitais, finanças e no desenvolvimento de ferramentas próprias. O foco do GroupM é oferecer vantagens incomparáveis no mercado aos seus clientes, acionistas e funcionários, e ele trabalha em estreita colaboração com o Kantar, grupo de gestão de investimentos em dados da WPP, para beneficiar seus clientes. Juntos, o GroupM e o Kantar representam mais de 50% das receitas do grupo WPP de mais de US$ 20 bilhões. 

Saiba mais sobre o GroupM em www.groupm.com .

Siga @GroupMWorldwide no Twitter

Siga GroupM no LinkedIn - https://www.linkedin.com/company/groupm

Contatos:



Adam Smith, diretor de futuros

David.Grabert@GroupM.com  

Samantha.Kops@GroupM.com

Adam.Smith@GroupM.com  

212.297.8092

917.421.3019

+44 (0)20 7969 4083





 

FONTE GroupM

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos