Ouça o Giro UOL Economia com os destaques desta quinta, 28 de janeiro

Bruno Soares

Do UOL, em São Paulo

Mercado financeiro

A Bolsa teve a segunda alta seguida e fechou o dia com valorização de 0,66% com 38.630 pontos. O movimento foi puxado pelo pacote de estímulos anunciado pelo governo e pelas ações da JBS e de bancos.

Os papeis da JBS tiveram alta de 11,18%, negociados a R$ 9,35. Entre os bancos, a maior valorização foi nas ações do Banco do Brasil, que subiram 2,2% e chegaram a R$ 12,98 cada.
No mercado de câmbio, o dólar seguiu tendência oposta e registrou queda, influenciado pelo movimento dos preços do petróleo. A moeda americana caiu 0,14%, cotada a R$ 4,08.

Leia mais

 

Contas públicas

Apesar das tentativas de ajustar as contas públicas, o governo federal fechou 2015 com deficit de R$ 115 bilhões, o pior resultado desde 1997. No ano anterior, o saldo negativo foi de R$ 17,2 bilhões.

Só em dezembro, as despesas superaram as receitas em R$ 60,7 bilhões. Foi quando o TCU obrigou o governo a pagar R$ 55,8 bilhões referentes às dívidas com bancos públicos e com o FGTS, as chamadas pedaladas fiscais.

Leia mais

 

Desemprego sobe

O desemprego médio no Brasil subiu dois pontos percentuais e fechou 2015 em 6,8%, segundo dados do IBGE. É o maior aumento desde 2004, quando o balanço começou a ser feito.

No ano passado, a média de pessoas desempregadas foi de 1,7 milhão, 42,5% a mais do que em 2014.

Leia mais

 

Estatal em crise

O conselho de administração da Petrobras aprovou uma revisão do modelo de gestão e governança que pode reduzir custos em até R$ 1,8 bilhão por ano.

Em comunicado divulgado hoje, a estatal informou que a reestruturação acontece pela necessidade de alinhamento à nova realidade do setor de óleo e gás.

Leia mais

 

Lucro do Bradesco

O Bradesco anunciou lucro líquido de R$ 17,1 bilhões em 2015, o segundo maior já registrado por um banco brasileiro com ações negociadas na Bolsa.

O desempenho só ficou atrás do Itaú Unibanco, que registrou lucro de R$ 20,2 bilhões em 2014.

Leia mais

 

Diferença salarial

A diferença de salário entre brancos e negros diminuiu em 2015. Segundo pesquisa do IBGE, a diferença salarial foi de 59,2%.

Apesar de ainda negativo, o resultado revela um avanço na comparação com 2003, quando negros ganhavam apenas 48,4%, menos da metade do salário de brancos.

Leia mais

 

Agenda

Amanhã o Banco Central divulga dados sobre a política fiscal, com informações sobre dívidas do setor público e superavit primário.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos