Lula está certo ao dizer que Lava Jato afeta economia? Analistas avaliam

Maria Carolina Abe

Do UOL, em São Paulo

Lula manda sindicalistas cobrarem Moro por 'prejuízos'

Qual o impacto da operação Lava Jato na economia brasileira? O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que é alto. Em discurso a sindicalistas, ele afirmou que a economia estaria sofrendo com a investigação que paralisa setores importantes, como combustíveis e construção. 

"Quando tudo isso terminar, você pode ter muita gente presa, mas você pode também ter milhões de desempregados neste país", declarou.

Consultorias e acadêmicos ouvidos pelo UOL, bem como entidades brasileiras e órgãos internacionais consultados, afirmam que a operação Lava Jato tem, sim, impacto na atual crise econômica.

Pode fechar 1 milhão de vagas de trabalho. O PIB caiu 3,8% em 2015, e a Lava Jato teria um peso de até 2 pontos percentuais nesse resultado ruim. Mas a operação não é a causa dos problemas econômicos, dizem os especialistas. Veja abaixo algumas questões para entender melhor essa relação.

Quanto a Lava Jato influencia no PIB e nos empregos?

iStock

Não é uma conta fácil e, portanto, não há uma resposta única. Segundo estudo da FGV, a diminuição das atividades da Petrobras por causa da Lava Jato poderia tirar R$ 87 bilhões da economia, levar à perda de mais de 1 milhão de vagas e à queda de R$ 5,7 bilhões na arrecadação de impostos por União, Estados e municípios em 2015.

Para a Tendências Consultoria, da queda de 3,8% do PIB (Produto Interno Bruto) no ano passado, dois pontos estão relacionados à Lava Jato. Outra consultoria, a GO Associados, estima que o impacto custe mais de 2 milhões de empregos em até dois anos. Esses cálculos baseiam-se na queda de investimentos feitos pela Petrobras e empreiteiras. 

Para 2016, a Tendências espera que a economia encolha 4% --1,2 ponto relacionado à Lava Jato-- e que os investimentos caiam 6%. 

A Lava Jato é a causa da crise econômica?

Getty Images

Segundo especialistas consultados, a operação pode ser vista como um fator que piorou a crise, mas não como causa dela.

"A crise econômica é muito maior do que a operação Lava Jato. Está relacionada com o impacto da crise mundial na economia brasileira e a impotência da economia brasileira para se defender desses impactos", afirmou Plinio Soares de Arruda Sampaio Jr., da Unicamp.

"Não seria a Lava Jato a responsável pela destruição de empregos, a estagnação etc., mas todo o esquema de corrupção que motivou a investigação", disse o sócio da 4E Consultoria Bruno Lavieri. "Culpar a Lava Jato nos parece algo como culpar o médico por ter descoberto a doença do paciente."

Simão Silber, da FEA-USP, tem opinião semelhante. "Não é a Justiça que é a culpada; é o malfeito que está sendo investigado o grande problema", disse. "O problema não é a Lava Jato; é a corrupção, a má gestão, decisões equivocadas. (...) o erro foi ter feito um acordo de companheiros para saquear a principal empresa do país."

Lava Jato deveria mudar para 'ajudar' economia?

Shutterstock

O impacto da Lava Jato na economia foi negligenciado, na opinião do economista Gesner Oliveira, professor da FGV e sócio da consultoria GO Associados. "Quem falava nesse impacto era considerado a favor da corrupção. Na verdade, ignorou-se um custo fenomenal para os trabalhadores." 

Ele defende a aplicação dos chamados acordos de leniência: as empresas acusadas assumem sua culpa, pagam uma multa, afastam as pessoas envolvidas com corrupção e se comprometem a adotar medidas para coibir o crime no futuro. Em troca, podem fechar contratos com o setor público.

Segundo Oliveira, proibir a operação em obras públicas das empresas investigadas "é uma punição burra, porque tira concorrentes do mercado e as obras ficam mais caras". Ele cita como bom exemplo o caso da Siemens, que fez acordo com o Ministério Público na investigação do cartel de trens em São Paulo.

A Advocacia Geral da União (AGU) também defende os acordos de leniência e afirma que "preservar a atividade econômica não é incompatível com combater a corrupção".

Lavieri, da 4E Consultoria, discorda. "Não haveria razão econômica para sugerir que a operação devesse ser mais branda para não agravar a situação econômica."

Alessandra Ribeira, da Tendências Consultoria, avalia que o efeito será positivo no longo prazo. "Os empresários de forma geral e os agentes políticos devem ter um comportamento mais cauteloso", diz. "As obras tendem a se aproximar de preços mais justos, sem o custo da corrupção, mais alinhados a fundamentos de mercado. (...) A tendência é as obras serem finalizadas mais rapidamente e ajudarem a economia."

Como a Lava Jato afeta a economia brasileira?

Getty Images

Todas as fontes consultadas pelo UOL concordam que a investigação tem efeito sobre a crise. "É um fator que potencializou a contração do PIB [Produto Interno Bruto]", disse a economista Alessandra Ribeiro, sócia da Tendências Consultoria.

"[A Lava Jato] pega a empresa mais importante do país e, junto, as grandes construtoras. Como a Petrobras era a empresa que fazia mais encomendas de máquinas, equipamentos e construções, isso teve um impacto não desprezível", afirmou o professor Simão Silber, da FEA-USP.

"Dentro desse contexto adverso [de crise no capitalismo mundial], a operação Lava Jato acaba sendo um elemento de incerteza adicional, que agrava os problemas", disse o professor Plinio Soares de Arruda Sampaio Jr., do Instituto de Economia da Unicamp.

O Banco Mundial aponta, ainda, a influência da crise política e de fatores externos. "A desaceleração foi exacerbada em 2015 pelo impacto das investigações de corrupção pela Lava Jato, um ambiente político difícil e um ambiente externo cada vez mais desfavorável, que levaram os investimentos e a confiança a recordes de baixa", afirma documento de novembro de 2015.

O que dá para fazer com dinheiro recuperado pela Lava Jato?

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos