IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Economia brasileira encolhe 3,8% em 2015, pior resultado em 25 anos

Do UOL, em São Paulo

2016-03-03T09:02:59

2016-03-03T11:33:44

03/03/2016 09h02Atualizada em 03/03/2016 11h33

A economia brasileira encolheu 3,8% em 2015 na comparação com 2014, segundo os dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados nesta quinta-feira (3) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Essa é a maior queda desde que a atual pesquisa do IBGE começou a ser feita, em 1996. Se forem considerados os dados anteriores do PIB, que começam em 1948, é o pior resultado em 25 anos, desde 1990 (-4,3%), quando Fernando Collor de Mello assumiu o governo e decretou o confisco da poupança.

Esta é a sétima vez que o Brasil tem PIB negativo desde 1948: 1981 (-4,3%), 1983 (-2,9%), 1988 (-0,1%), 1990 (-4,3%), 1992 (-0,5%), 2009 (-0,1%) e, agora, 2015 (-3,8%).

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-infografico','/2016/pib-1457009900576.vm') 

Em 2014, a economia havia apresentado leve alta de 0,1%.

Em valores correntes, o PIB de 2015 ficou em R$ 5,9 trilhões. O PIB per capita ficou em R$ 28.876 em 2015, com queda de 4,6% em relação ao ano anterior.

Só a agropecuária cresceu

  • Agropecuária: +1,8%
  • Soja: +11,9% 
  • Serviços: -2,7%
  • Comércio: -8,9%
  • Indústria: -6,2%
  • Indústria de transformação: -9,7%

A indústria encolheu 6,2% no ano passado e puxou o resultado do PIB para baixo. Todas as atividades da indústria sofreram queda, exceto a de exploração de petróleo e gás natural (+4,9%).

O maior tombo (-9,7%) foi o da indústria da transformação, que produz bens de consumo (como carros e geladeiras) e fornece máquinas e equipamentos para outras indústrias. Essa área funciona como um termômetro do setor industrial como um todo.

O comércio também encolheu bastante: -8,9%. Com isso, o setor de serviços fechou em baixa de -2,7%.

O único setor que cresceu em 2015 foi a agropecuária (1,8%), reflexo do bom desempenho de produções como soja (+11,9%) e milho (+7,3%).

Recessão segue no 4º trimestre

  • 4º trimestre em relação ao 3º trimestre: -1,4% (4ª queda seguida)
  • 4º trimestre em relação ao 4º trimestre de 2014: -5,9% (7ª queda seguida)

Considerando apenas o PIB do quarto trimestre, houve uma queda de 1,4% em relação ao terceiro trimestre. Foi a quarta queda seguida nesse tipo de comparação, e indica que a recessão se aprofundou.

Bastam dois trimestres seguidos de queda para se considerar que um país está em recessão técnica.

Na comparação com o quarto trimestre de 2014, o tombo do PIB foi de 5,9%, na maior queda desde o início da série histórica que começou em 1996. Foi a sétima queda seguida nesse tipo de comparação, na maior sequência de resultados negativos desde 1996.

O que é o PIB?

PIB é a soma de tudo o que é produzido no país. Os dados consideram a metodologia atualizada do cálculo.

Entenda o que é o PIB e como ele é calculado

  •  

Estimativas para o ano

FMI (Fundo Monetário Internacional) e economistas consultados pela agência de notícias Reuters previram queda de 3,8% e acertaram em cheio o resultado do PIB.

A previsão do governo era de encolhimento de 3,7%, de acordo com o Ministério do Planejamento. A estimativa do Banco Central era de queda de 3,6%.

Por sua vez, analistas de mercado consultados pelo Banco Central para o boletim Focus esperavam recuo de 3,71%

*Correção: A queda do PIB no 4º trimestre em relação ao trimestre anterior foi a quarta seguida, não a sétima. A informação foi corrigida.

(Com agências de notícias

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-infografico','/2015/ciclo-da-recessao-1448999358333.vm')

Mais Economia