PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Governo destaca "honestidade" e "despolitização" de Maria Silvia no BNDES

Fabio Motta/Agência Estado
Imagem: Fabio Motta/Agência Estado

Gustavo Maia e Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

26/05/2017 18h19Atualizada em 26/05/2017 18h20

O presidente Michel Temer agradeceu Maria Silvia Bastos Marques e disse que ela presidiu o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) "de forma honesta, competente e séria". Maria Silvia pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (26).

"Seu trabalho honrou o governo e moralizou um setor estratégico para o país, despolitizando a relação com o setor empresarial e elegendo critérios profissionais e técnicos para a escolha de projetos a serem contemplados com financiamentos oriundos de recursos públicos", informou Temer em nota.

Entre assessores do Palácio do Planalto, a decisão foi recebida com surpresa, já que Temer havia elogiado a executiva em seu segundo pronunciamento após o início da atual crise que atinge o governo, no sábado (20).

"O BNDES mudou em meu governo. A presidente Maria Silvia moralizou o BNDES, colocou ordem na casa, e tem meu respeito e meu respaldo para fazê-lo", declarou Temer na ocasião.

O BNDES está envolvido em diferentes investigações da Polícia Federal, que investigam suspeitas de irregularidades na concessão de empréstimos, com envolvimento de políticos e empresas. 

Motivos pessoais

Em comunicado interno distribuído nesta sexta-feira aos funcionários, Maria Silvia alegou motivos pessoais para renunciar.

"Deixo a presidência do BNDES por razões pessoais, com orgulho de ter feito parte da história dessa instituição tão importante para o desenvolvimento do País", diz o comunicado, fazendo referência à sua passagem anterior pela diretoria do banco, no início dos anos 1990.

Empresários teriam reclamado de sua atuação

No começo deste mês, o site da revista "Época" chegou a afirmar que Temer havia dado um prazo de três meses para o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, encontrar um substituto para comandar o banco. Segundo o site, Maria Silvia estaria sendo alvo de reclamações ostensivas de empresários que a acusavam de fechar o caixa do banco estatal. Na época, o Planalto negou que tivesse tal intenção.

Gravação da conversa entre Joesley Batista, da JBS, e Temer mostra que o empresário criticou a atuação de Maria Silvia. "Está bem travado", disse ao reclamar para o presidente Michel Temer do crédito do banco.