Conteúdo publicado há 22 dias

Ex-magnata das criptomoedas é condenado a 25 anos por fraude nos EUA

Sam Bankman-Fried, 32, foi condenado a 25 anos de prisão nos Estados Unidos. O empresário decretou a falência da FTX em novembro de 2022, que era considerada a segunda maior plataforma de criptomoedas do mundo, avaliada em aproximadamente US$ 32 bilhões.

O que aconteceu

Sam foi considerado culpado em novembro do ano passado de todas as sete acusações apresentadas contra ele, mas sentença foi definida nesta quinta-feira (28), no tribunal sul de Nova York.

A principal diz respeito a usar fundos depositados de clientes em sua plataforma de troca de criptomoedas sem o conhecimento deles.

O dinheiro foi usado em negociações de risco e em investimentos na sua empresa, a Alameda Research, com empréstimos da FTX que chegaram a cerca de US$ 14 bilhões. Além disso, ele usou o dinheiro para fazer doações para políticos e na compra de mansões nas Bahamas.

No processo, Bankman-Fried admitiu ter cometido alguns erros em sua empresa, mas negou ter enganado os clientes.

Quem é Bankman-Fried?

Formado no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e bilionário antes dos 30 anos, Bankman era trader na Jane Street Capital antes de abrir o próprio negócio. Em 2017, ele começou a Alameda Research, empresa de criptomoedas. Seu escritório era em dois quartos de Airbnb, na Califórnia.

Em 2019, o ex-bilionário deu um salto e fundou a FTX, uma plataforma de negociações de criptomoeda. Como não entendia do assunto, seu primeiro objetivo era vender a empresa em poucos meses. Ele não fez isso e viu a empresa valorizar ao ponto de, em janeiro de 2022, estar avaliada em US$ 32 bilhões, com investidores como a BlackRock.

Com a crise da empresa, ele conseguiu perder, em um só dia, 94% de seu patrimônio. Lembrando que, no auge, ele chegou a ter US$ 15 bilhões (R$ 74,33 bilhões), segundo a Bloomberg. Ele morava em uma mansão de US$ 35 milhões nas Bahamas, com nove outros funcionários da FTX.

Continua após a publicidade

Famosos caem no golpe

Com o sucesso da empresa, Bankman-Fried usou famosos para divulgar ainda mais a FTX. Gisele Bündchen e Tom Brady, um dos casais mais badalados da época, tinham acordo para promover a startup.

Mas a lista é ainda mais extensa e conta com grandes nomes do esporte como Stephen Curry e Lewis Hamilton. Na parte de entretenimento, o ex-bilionário usou Katy Perry e Larry David em suas campanhas.

*Com informações da AFP e RFI

Deixe seu comentário

Só para assinantes