Conteúdo publicado há 1 mês

Americanas é condenada a indenizar cliente acusada de furto no DF

A Lojas Americanas foi condenada a indenizar uma cliente em R$ 7 mil por submeter a mulher a situação vexatória após suspeita de furto. A decisão foi tomada pela 1ª Vara Cível de Ceilândia, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios. Ainda cabe recurso da sentença.

O que aconteceu

Um funcionário da loja seguiu a mulher até o trabalho dela e, suspeitando de furto, conferiu os itens que ela carregava. A consumidora afirma que entrou no estabelecimento com uma sacola de produtos que tinha adquirido em outro estabelecimento, mas saiu da Americanas sem comprar nada. Ao chegar ao seu trabalho, ela foi abordada por um funcionário. Ele a levou para uma sala e fez a conferência das compras.

A juíza considerou que os danos morais são evidentes, pois a situação foi vexatória e constrangedora. A magistrada afirmou que as provas mostram que o funcionário não adotou o procedimento correto no caso de suspeita de furto e que a "abordagem extrapolou os limites do direito de medidas de segurança do patrimônio" da loja.

Durante o processo, a Americanas pediu para que a indenização fosse julgada improcedente. A empresa afirmou que não há provas de que houve um ato ilícito capaz de gerar dano indenizável.

Questionada pelo UOL sobre a condenação, a Americanas informou que não comenta processos em andamento na Justiça e que segue investindo em treinamentos e sensibilização sobre condutas e valores para todos os colaboradores.

Deixe seu comentário

Só para assinantes