Bolsas

Câmbio

Procuradores vão investigar venda da Petrobras Argentina, diz advogado

BRASÍLIA (Reuters) - Procuradores que investigam o maior escândalo de corrupção da história do Brasil vão analisar a venda da subsidiária da Petrobras na Argentina, ocorrida no ano passado, disse nesta quarta-feira um advogado que representa os acionistas minoritários.

A Petrobras vendeu sua participação de 67,2 por cento na Petrobras Argentina por 892 milhões de dólares para a Pampa Energia SA, maior companhia de energia da nação vizinha.

O advogado Felipe Caldeira, representante dos acionistas da Petrobras, disse à Reuters que conversou na terça-feira com a força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba (PR), e que entregou aos investigadores informações sobre o negócio.

"Eles estão muito interessados ​​e vão investigar isso", disse Caldeira, que apresentou em maio uma ação popular em um tribunal do Rio de Janeiro, buscando uma investigação da venda, a qual, segundo ele, foi realizada por um valor abaixo do de mercado, prejudicando os interesses dos acionistas minoritários.

Os procuradores federais em Curitiba não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

A Petrobras comprou a unidade argentina do conglomerado de energia Perez Companc em 2002 por 1 bilhão de dólares, além de assumir 2 bilhões de dólares em dívida.

A venda, 14 anos depois, por um valor muito menor, gerou controvérsia no Brasil, e executivos da Petrobras e da Pampa Energia, bem como Caldeira, devem testemunhar na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara nesta quarta-feira.

Aldemir Bendine, presidente da Petrobras à época, foi preso no mês passado por suspeita de receber subornos da Odebrecht, de acordo com investigação da operação Lava Jato.    O Tribunal de Contas da União (TCU) disse que está investigando a venda da Petrobras Argentina a pedido de um senador, mas que ainda não concluiu os trabalhos.    Em resposta ao processo de Caldeira, um juiz federal no Rio de Janeiro enviou às autoridades argentinas um pedido para que o presidente da Pampa Energia, Marcos Marcelo Mindlin, testemunhe no caso.    Com uma participação majoritária, a Pampa SA continuou sua aquisição da Petrobras Argentina em novembro, ao adquirir uma participação de 11,85 por cento detida pelo sistema de previdência argentino ANSES.    A transação está sendo investigada pelo juiz argentino Claudio Bonadio, que ordenou a busca e a apreensão de documentos de escritórios governamentais em maio, em um caso denunciado pela parlamentar de centro de esquerda, Victoria Donda, do partido Libres del Sur.

"As ações de fundos foram vendidas muito baratas, e queremos saber por que, já que milhares de pensionistas perderam dinheiro", disse Donda à Reuters em Brasília, onde está para participar da audiência de quarta-feira.

(Por Anthony Boadle)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos