Bolsas

Câmbio

Airbus vai concluir compra de controle de jato CSeries da Bombardier em julho

Por Allison Lampert e Rama Venkat Raman

  • Divulgação

    Avião comercial da divisão CSeries, da Bombardier

    Avião comercial da divisão CSeries, da Bombardier

(Reuters) - A Airbus vai concluir acordo para assumir o controle do programa de aviões comerciais CSeries, da canadense Bombardier, em 1º de julho, disseram as empresas nesta sexta-feira (8), após a operação receber sinal verde de autoridades na véspera.

A Bombardier fechou acordo em outubro para vender à Airbus uma participação de 50,01% no programa CSeries pelo valor simbólico de 1 dólar canadense, depois que o projeto enfrentou vendas fracas, o que dificultou o controle de custos.

A Airbus, por outro lado, poderá oferecer a companhias aéreas acordos empacotando os CSeries com seus próprios jatos e deve usar seu poder de compra para reduzir custos de peças, ao mesmo tempo em que melhora eficiências internamente.

A Bombardier terá cerca de 31% do empreendimento, enquanto o braço de investimento da província de Québec, Investissement Québec, terá cerca uma fatia de 19%.

Bombardier aumenta previsão de lucro

A Bombardier elevou sexta-feira sua projeção para o lucro consolidado antes de juros e impostos de 2018 em US$ 100 milhões, para uma faixa entre US$ 900 milhões e US$ 1 bilhão, para refletir a separação do programa de jatos CSeries.

A companhia canadense, uma das maiores rivais da brasileira Embraer, também disse que cortou sua estimativa de receita em US$ 500 milhões, para US$ 16,5 bilhões a US$ 17 bilhões. A empresa acrescentou que os resultados do CSeries não serão mais consolidados em seus resultados a partir de 1º de julho.

O governo de Québec, por meio de seu braço de financiamento, assumiu uma fatia de 49% no programa CSeries em 2015 por US$ 1 bilhão. A participação de Québec, mais recentemente caiu para 38% e diminuiu para 19% após o acordo com a Airbus.

O negócio foi anunciado em um momento em que a Bombardier estava no meio de uma disputa comercial com a fabricante norte-americana de aviões Boeing.

A disputa terminou em março, quando a Boeing disse que não recorreria da decisão da comissão de comércio dos EUA, de permitir que a Bombardier venda o CSeries nos EUA sem pesadas sobretaxas. Após isso, a Boeing passou a tentar fazer uma ampla parceria com a Embraer, mas após meses de negociações envolvendo o governo brasileiro, nenhum acordo foi anunciado.

A conclusão do acordo da Bombardier com a Airbus permite que a equipe de vendas do grupo europeu promova o CSeries durante campanhas de venda para empresas aéreas como Grupo AeroMéxico e Ethiopian Airlines.

(Reportagem adicional de Parikshit Mishra em Bangalore, Índia, e Tim Hepher em Sydney)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos