PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Bolsas dos EUA: S&P 500 e Nasdaq fecham em novas máximas recordes

Stephen Culp

11/02/2020 18h27Atualizada em 11/02/2020 19h18

NOVA YORK (Reuters) - Os índices S&P 500 e Nasdaq fecharam em novas máximas recordes pela segunda sessão consecutiva nesta terça-feira, depois de autoridades chinesas afirmarem que a epidemia mortal de coronavírus poderia ser contida até abril.

O índice Dow Jones ficou estável, enquanto o S&P 500 ganhou 0,16885%, a 3.358 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,11%, a 9.639 pontos.

O Dow Jones ficou praticamente estável, e mesmo o S&P 500 e o Nasdaq reduziram seus ganhos, depois de a Federal Trade Commission (FTC) emitir ordens a grandes empresas de tecnologia para fornecerem informações sobre fusões pequenas demais para serem reportadas a reguladores antitruste.

Microsoft Corp foi o maior obstáculo aos três principais índices de ações dos Estados Unidos, após a demanda da FTC por dados da empresa. Informações também foram solicitadas a Alphabet, Amazon, Apple e Facebook.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o coronavírus chinês como "inimigo público número um". Mas o principal assessor médico da China sobre o surto disse que a crise poderia acabar em abril, aliviando o nervosismo com a epidemia, que se mostrou em rápida propagação.

"Por mais que exista um desejo de empurrar as ações ainda mais para cima, também há uma exaustão", afirmou Oliver Pursche, vice-presidente e estrategista-chefe de mercado da Bruderman Asset Management em Nova York.

"A melhor coisa que poderia acontecer para as ações neste ano é andarmos de lado por um tempo e deixarmos o mercado recuperar o fôlego."

Agentes do mercado observaram atentamente o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, iniciar sua atualização econômica semestral ao Congresso.

"Powell falou sobre o coronavírus e reconheceu que pode ser um catalisador para o Fed tomar medidas se necessário", acrescentou Pursche. "Isso significa que o Fed está profundamente ciente dos riscos, mas também significa que os riscos são muito reais."

Economia