PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ibovespa recua cerca de 3% com manutenção de aversão a risco global

19/03/2020 10h21

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista mantinha o viés negativo nos primeiros negócios desta quinta-feira, conforme ativos de risco seguem pressionados pelas preocupações sobre os efeitos econômicos da pandemia de coronavírus, mesmo após uma série de medidas de bancos centrais.

Às 10:13, o Ibovespa caía 3,09%, a 64.825,78 pontos.

Na véspera, o Ibovespa à vista fechou em queda de 10,35%, a 66.894,95 pontos, menor patamar desde 3 de agosto de 2017.

"Toda a intervenção de bancos centrais está sendo rejeitada pelos mercados como uma solução para a pandemia de coronavírus", observou o analista Jasper Lawler, chefe de pesquisa no London Capital Group.

Em Wall Street, o futuro do S&P 500 cedia 1,5%. Na Europa, o londrino FTSE 100 recuava 1,4%

No Brasil, investidores também avaliam a decisão do Banco Central de cortar na quarta-feira a Selic em 0,5 ponto, para a nova mínima histórica de 3,75%, mas indicando que este deve ser o novo nível dos juros básicos daqui para frente.

Também no radar está a aprovação pelo Plenário da Câmara dos Deputados na véspera do pedido de reconhecimento de calamidade pública enviado pelo governo em função da epidemia do coronavírus e a matéria vai agora ao Senado.

O estado de calamidade pública libera o governo do cumprimento da meta fiscal deste ano para o governo central (Tesouro, Previdência e Banco Central), de 124,1 bilhões de reais.