PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

BTG Pactual reduz risco para enfrentar crise do coronavírus

12/05/2020 10h26

Por Carolina Mandl

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco BTG Pactual decidiu reduzir os riscos relacionados ao mercado no primeiro trimestre, quando seu lucro líquido veio abaixo das estimativas, preparando-se para a crise trazida pelo coronavírus.

"Neste trimestre, nos deparamos com uma crise sem precedentes. Estamos orgulhosos do resultado que apresentamos, e temos consciência de que o cenário à frente é bastante incerto e que exige redobrada atenção", afirmou o presidente, Roberto Sallouti, em um comunicado.

O índice de capital principal do banco subiu para 15%, ante 12,2% no trimestre anterior, enquanto o retorno sobre o patrimônio caiu 4,6 pontos percentuais, para 14,5%.

O lucro líquido recorrente, que exclui itens únicos, ficou em 789 milhões de reais no primeiro trimestre, 7% abaixo das expectativas dos analistas, segundo um consenso da Refinitiv de 848,9 milhões de reais, mas houve um aumento de 9,4% em relação ao ano anterior.

A receita total do BTG atingiu 1,518 bilhão de reais, um aumento de 2%, com crescimento em quase todas as linhas de negócios em relação ao ano anterior. O banco registrou, porém, uma perda de 18 milhões de reais em seus investimentos proprietários, causada ​​por aplicações em mercados globais e imóveis.

A entrada líquida de recursos para gestão de ativos e fortunas chegou a 21,2 bilhões de reais, mantendo a tendência de alta de períodos anteriores.

A carteira de crédito cresceu 8,9% em relação ao trimestre anterior, atingindo 47,7 bilhões de reais. O banco disse que aumentou as provisões para possíveis perdas decorrentes da crise do coronavírus, mas não informou o montante.

O BTG apertou seu cinto no primeiro trimestre com as despesas operacionais crescendo 1% em relação ao ano anterior, embora tenha acelerado os custos relacionados à sua recém-lançada unidade de varejo digital, pois o BTG disse anteriormente que vê boas oportunidades de negócios.