PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Wine retoma planos de IPO com manutenção do crescimento acelerado em 2021

No ano passado, clube de assinatura de vinhos faturou 450 milhões de reais, um crescimento de quase 40% em relação a 2019 - Por Paula Arend Laier
No ano passado, clube de assinatura de vinhos faturou 450 milhões de reais, um crescimento de quase 40% em relação a 2019 Imagem: Por Paula Arend Laier

Paula Arend Laier

12/03/2021 09h10

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O clube de assinatura de vinhos Wine pediu registro de companhia aberta, retomando os planos de captar recursos no mercado de capitais, incluindo uma eventual oferta de ações, a fim de apoiar a expansão da empresa.

Fundada em 2008, a Wine faturou 450 milhões de reais no ano passado, alta de quase 40% ante 2019, com 40% da receita oriunda do clube de assinatura e 60% do e-commerce no aplicativo. Atualmente, conta com mais de 240 mil sócios no Clube Wine.

"Mantivemos o ritmo acelerado de crescimento (do faturamento) com mais 40% nos primeiros meses de 2021, em todas as nossas unidades de negócio, e seguimos expandindo a base de sócios do Clube Wine, nosso principal motor de crescimento", afirmou o presidente-executivo da Wine, Marcelo D'Arienzo.

Ele afirmou que a companhia, que se apresenta como o maior clube de assinatura de vinhos do mundo, enxerga muito potencial de crescimento e quer ser consolidadora no mercado. "Estamos entre os 5 maiores importadores de vinhos do Brasil e temos apenas 4% do mercado total", exemplificou.

O registro de companhia aberta, de acordo com o executivo, abre espaço para o mercado de acompanhar de perto resultados e investir na empresa, que tem características de tecnologia e inovação em um modelo de recorrência.

Os planos incluem crescimento do clube, investimento em tecnologia e no desenvolvimento do aplicativo, além de descentralização de estoque por meio do conceito 'online to offline' (O2O) - serviços usados no mundo físico mas encontrados no meio digital - e expansão de vendas a empresas (B2B).

"Além disso, vemos potencial para a companhia em desempenhar mais papéis em mercados adjacentes ao de atuação neste momento e também oportunidades de aquisição de empresas que adicionem valor ao nosso modelo de negócio", acrescentou o executivo.

A empresa havia pedido registro em 2020, mas suspendeu em razão de turbulências e incertezas no mercado acionário. "O investidor estava mais avesso a riscos e precificando todos os ativos abaixo do valor justo de mercado", argumentou D'Arienzo.

A Wine inaugurou nos últimos meses lojas físicas e hoje possui oito unidades -- três em São Paulo e uma cada em Campinas, Recife, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre. A previsão é abrir mais cinco lojas neste primeiro semestre.

(Por Paula Arend Laier)

PUBLICIDADE