PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Sabesp tem queda de 32% no lucro do 4º tri e vai a R$ 567,5 milhões

Estação de tratamento de água da Sabesp, em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo - Gabriel Cabral/Folhapress
Estação de tratamento de água da Sabesp, em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo Imagem: Gabriel Cabral/Folhapress

Andre Romani

Da Reuters

25/03/2022 10h01Atualizada em 25/03/2022 10h45

A Sabesp teve lucro líquido de 567,5 milhões de reais no quarto trimestre, queda de 31,7% em comparação ao mesmo período do ano anterior, com forte alta de custos e despesas, além de inadimplência, segundo resultados divulgados no final da noite de quinta-feira pela companhia paulista de água e saneamento.

O desempenho operacional da empresa medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de 1,5 bilhão de reais entre outubro e dezembro, redução de 18,9% ante um ano antes. A margem Ebitda ajustada caiu de 37,7% para 29,5%.

A Sabesp teve receita operacional líquida no trimestre de 5,1 bilhões de reais, um crescimento de 3,7% na comparação anual. O percentual de expansão foi o mesmo registrado pelo segmento receitas de serviços de saneamento, negócio principal da companhia.

O volume faturado de água e esgoto no acumulado dos últimos três meses de 2021 foi de 1 bilhão de metros cúbicos, praticamente estável frente a mesma etapa de 2020.

Os custos e despesas avançaram bem mais do que as receitas, com expansão de 23,1% no quarto trimestre, para 3,1 bilhões de reais. A conta foi impulsionada por saltos de 35% em custos com "serviços" e de 29,8% com energia elétrica, além de altas de 39,7% com "materiais gerais".

A empresa também apurou incremento de 173,7 na linha de "perdas estimadas com créditos de liquidação duvidosa", que somou 260 milhões de reais.

Com isso, os custos e despesas como percentual da receita líquida dispararam de 78,1% para 82,3% no último trimestre do ano passado sobre o mesmo período de 2020.

O resultado financeiro também prejudicou o balanço da Sabesp, com piora de 67,3% no trimestre, para 301,2 milhões de reais negativos.