Campeões do tetra e fãs despedem-se de Zagallo na sede da CBF

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Campeões do tetra e fãs do ex-jogador e técnico brasileiro que conquistou quatro Copas do Mundo Mário Jorge Lobo Zagallo despediam-se neste domingo do "Velho Lobo", que morreu na sexta-feira aos 92 anos de idade, durante velório na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na zona Oeste da cidade.

Ao lado do caixão, além das tradicionais coroas de flores enviadas por entidades como FIFA e CBF, estava uma estátua em tamanho real do tetracampeão que o eterniza na sede do museu. Em frente ao caixão, os 4 títulos mundiais conquistados por Zagallo -- ele foi campeão mundial como jogador em 1958 e 1962, como técnico em 1970 e como coordenador em 1994.

Além dos troféus e da estátua, painéis com fotos e momentos de Zagallo customizaram os corredores da CBF.

"Zagallo era um verdadeiro brasileiro. Amava muito nossa seleção e fazia de tudo para o Brasil dar certo, ser campeão e para termos orgulho. Esses troféus, esse museu, falam muito isso", disse, emocionado e às lágrimas, o torcedor Ronaldo Pinheiro da Silva.

O velório de Zagallo foi aberto ao público logo de manhã e desde de cedo parentes, ex-atletas e dirigentes passaram pela sede da CBF para a despedida.

Tetracampeão mundial com Zagallo, o ex-jogador Zinho era um dos mais emocionados.

"Ele sempre teve muito orgulho de vestir a camisa da seleção: nunca vi um cara tão apaixonado pela seleção e pelo nosso país. Ele nos ensinou e colocou isso na nossa mente. Deixa esse legado", disse Zinho a jornalistas.

O ex goleiro Gilmar Rinaldi, campeão mundial com Zagallo, chamou o treinador de "lenda do esporte brasileiro".

Continua após a publicidade

"Ele nos ensinou a amar a seleção e foi quem mais divulgou o tamanho dessa camisa. Zagallo era uma lenda: foi jogador, treinador e auxiliar. É um profissional completo e ninguém conseguiu atingir esse nível dele", disse à Reuters.

Bebeto, protagonista do tetra, disse à Reuters que Zagallo era uma "referência" para ele: "Estou muito triste e emocionado... sou o que sou graça a ele".

Para o tetracampeão Mauro Silva, depois de Pelé, Zagallo foi o maior na seleção brasileira.

"Ele foi imenso na seleção e depois do Pelé é aquele que deixa o maior legado, especialmente de amor à seleção, alegria, entusiasmo. E graças a Deus pude conviver com ele", afirmou.

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, anunciou que pretende fazer várias homenagens ao tetracampeão.

"Zagallo era um exemplo. Deixou legado de vontade e determinação. Esse espírito tem que ser resgatado. Faremos homenagens infinitas", disse o dirigente, que retomou o cargo após uma destituição em dezembro determinada pela Justiça comum do Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade

Zagallo morreu na sexta-feira aos 92 anos, por falência múltipla dos órgãos. O corpo de Zagallo será sepultado na tarde desse domingo, no cemitério de São João Batista, na zona sul da cidade.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes