Presidente do BCE diz que corte de juros ocorrerá se ficar claro que inflação caiu a 2%

Por Sudip Kar-Gupta

PARIS (Reuters) - A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, disse nesta quinta-feira que a "parte pior e mais difícil" em relação às pressões de preços provavelmente já passou e que as taxas de juros seriam cortadas se o BCE tivesse certeza de que a inflação havia caído para o nível de 2%.

"Acho que a parte mais difícil já passou", disse Lagarde, em relação à batalha contra a inflação, acrescentando que ela também achava que os juros haviam atingido seu nível mais alto.

"Acho que os juros, a menos que haja novos choques ou dados inesperados, não continuarão a subir. E se vencermos nossa luta contra a inflação, e se tivermos certeza de que a inflação ficará de fato em 2%, nesse ponto os juros começarão a cair", disse Lagarde em entrevista à France 2 TV.

Questionada se 2024 seria o ano em que a taxa de depósito seria reduzida, Lagarde respondeu que "como presidente do BCE, não posso lhe dar uma data".

O BCE vê a inflação oscilando na faixa de 2,5% a 3% durante a maior parte deste ano, e os formuladores de política monetária disseram que qualquer conversa sobre um corte de juros antes dos dados cruciais sobre salários do primeiro trimestre, previstos para maio, seria prematura.

Os investidores precificaram pelo menos cinco cortes na taxa de depósito em 2024, com o primeiro movimento ocorrendo em março ou abril -- um cronograma que várias autoridades do BCE consideraram excessivo, dadas as pressões persistentes sobre os preços.

A inflação na zona do euro subiu para 2,9% em dezembro, de 2,4% em novembro. Lagarde disse que vê a inflação da zona do euro em queda para 1,9% em 2025.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes