Acionistas e credores do Casino aprovam plano de proteção acelerado

PARIS (Reuters) - Acionistas e credores do Casino deram luz verde a um plano liderado pelo bilionário tcheco Daniel Kretinsky para resgatar o grupo varejista francês endividado, que no Brasil é um dos principais investidores no GPA.

Dezesseis das 17 classes em que os acionistas e credores foram divididos para dar seus votos - eletronicamente e em uma reunião realizada na quinta-feira - aprovaram um projeto de procedimento de proteção, disse o Casino em um comunicado nesta sexta-feira.

O procedimento permite que a futura liderança da companhia finalize um acordo para reestruturar a dívida do grupo e recuperar seus negócios.

Os acionistas do Casino  (classe 7) votaram 98,87% a favor do procedimento, enquanto o sucesso foi bem menor entre os credores de bonds da empresa (classe 3), que votaram 68,55% a favor, e os credores detentores de notas subordinadas perpétuas (classe 6), dos quais 75,62% expressaram sua aprovação.

Uma nova equipe de liderança formada em torno de Kretinsky deverá assumir, ainda este ano, o controle do sétimo maior grupo de supermercados da França em participação de mercado, que ficou à beira da inadimplência após anos de aquisições impulsionadas por dívidas e recentes perdas de participação de mercado para rivais.

Os atuais acionistas serão amplamente diluídos em um acordo de reestruturação que encerrará o reinado de 30 anos de Jean-Charles Naouri, de 74 anos, no comando do Casino por meio da holding Rallye.

O consórcio de Kretinsky controlará 53,7% do Casino de acordo com o acordo, que prevê a injeção de 1,2 bilhão de euros em dinheiro novo no Casino, bem como uma redução de 6,1 bilhões de euros na dívida da companhia.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes