Importação de minério de ferro pela China tem recorde em 2023 com maior demanda

PEQUIM (Reuters) - As importações de minério de ferro pela China em 2023 atingiram um recorde, com um aumento de 6,6% em relação ao ano anterior, mostraram dados alfandegários na sexta-feira, graças a uma demanda mais forte em meio à falta de limites para a produção de aço exigidos pelo governo.

Exportações de aço da China acima do esperado também impulsionaram a importação de minério de ferro.

O maior consumidor de minério de ferro do mundo importou um total de cerca de 1,18 bilhão de toneladas métricas no ano passado, segundo dados da Administração Geral de Alfândega do país.

O total de 2023 também marcou o primeiro aumento desde 2020, uma vez que Pequim introduziu um limite em sua produção anual de aço em 2021 e 2022 para ajudar a conter as emissões de carbono, reduzindo a demanda pelo principal ingrediente de fabricação de aço nesses anos.

As importações de minério de ferro da China em 2021 e 2022 caíram 3,9% e 1,5% em relação ao ano anterior, respectivamente.

No entanto, não houve limites para a produção de aço em 2023, já que a segunda maior economia do mundo está lutando para se recuperar da era da Covid-19, em parte devido aos persistentes problemas imobiliários.

A produção de aço bruto nos primeiros 11 meses de 2023 aumentou 1,5% em relação ao ano anterior, chegando a 952,14 milhões de toneladas, segundo dados oficiais, o que aumentou a demanda por matérias-primas.

Um fator que possivelmente sustenta a maior demanda de minério é que as usinas preferiram usar cargas mais baratas e de menor qualidade enquanto lutavam para gerar lucros no ano passado, disseram analistas, traders e usinas.

É preciso mais minério de ferro de grau inferior para produzir uma tonelada de aço do que com minério de grau superior.

Continua após a publicidade

Em 2023, as exportações totais de minério de ferro do Brasil, importante fornecedor da China, alcançaram 378,5 milhões de toneladas, alta anual de 10% e o maior patamar desde as 389,8 milhões de toneladas registradas em 2018, antes do desastre com uma barragem da Vale em Brumadinho (MG), em 2019, o que impactou a produção da mineradora.

É provável que as importações de minério pela China em 2024 continuem aumentando, embora em um ritmo mais lento, com uma previsão de crescimento moderado no consumo de aço, disse Zhuo Guiqiu, analista da Jinrui Futures, com sede em Shenzhen.

Em dezembro, a China importou 100,86 milhões de toneladas de minério de ferro, uma queda de 1,83% em relação aos 102,74 milhões de toneladas de novembro, uma vez que mais usinas iniciaram a manutenção dos altos-fornos devido à contração das margens do aço.

O volume de dezembro se compara a 90,86 milhões de toneladas no mesmo mês de 2022.

COMÉRCIO DE AÇO

As exportações chinesas de produtos siderúrgicos em dezembro de 2023 aumentaram 43,2% no ano, para 7,73 milhões de toneladas, levando o total anual de embarques a uma máxima de sete anos de 90,26 milhões de toneladas, um aumento de 36,2%, mostraram os dados alfandegários, superando as expectativas do mercado.

Continua após a publicidade

"O aumento das exportações se deve ao enfraquecimento da demanda doméstica. O principal aumento foi impulsionado por produtos longos, que foram duramente atingidos pelo setor imobiliário chinês em dificuldades", disse Tomas Gutierrez, chefe de dados da consultoria Kallanish Commodities, sediada no Reino Unido.

"As exportações líquidas de aço da China cairão em 2024, mas provavelmente permanecerão acima da média de cinco anos", acrescentou Gutierrez.

O maior produtor de aço do mundo também importou 665.000 toneladas de produtos siderúrgicos no mês passado, elevando o total de 2023 para 7,65 milhões de toneladas, uma queda de 27,6% em relação a 2022.

(Reportagem de Amy Lv e Andrew Hayley)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes