Ações da Gol despencam após notícia de que aérea avalia pedido de recuperação judicial nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da Gol despencavam nesta segunda-feira, após notícia divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo no domingo de que a companhia aérea está considerando fazer um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos no próximo mês.

Os papéis preferenciais da Gol perdiam cerca de 10% nas negociações pela manhã, liderando as quedas percentuais do Ibovespa, que, por sua vez, caía 0,19%.

A Gol, segunda maior companhia aérea do Brasil em termos de passageiros transportados, tem enfrentado dívida elevada, e no mês passado contratou a Seabury Capital para auxiliar em seu processo de ampla revisão da sua estrutura de capital.

A empresa, que também tem lidado com atraso em entregas de aviões pela Boeing, não comentou de imediato o assunto.

A Folha, citando fontes com conhecimento da situação, disse que a Gol ainda está tentando negociar um acordo extrajudicial, mas a possibilidade é vista como cada vez mais inviável, já que várias partes interessadas estavam envolvidas nas negociações.

Em evento a investidores no mês passado, a Gol confirmou que estava em negociações em grande parte com arrendadores para reestruturar sua dívida, mas também esperava a contribuição de detentores de títulos e acionistas.

"Esperamos uma reação negativa do mercado a essa notícia, uma vez que levantará preocupações sobre uma possível diluição adicional para os acionistas", afirmaram analistas do Itaú BBA, liderados por Gabriel Rezende, sobre a notícia da Folha.

A rival Latam Airlines, saiu da recuperação judicial em 2022 com um plano de reorganização de 8 bilhões de dólares. A Azul também reestruturou sua dívida no ano passado, mas por meio de acordos com arrendadores, fabricantes e detentores de títulos de dívida da empresa.

(Por Gabriel Araujo)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora