Operadora de helicópteros OHI prevê crescimento com impulso de petróleo no Brasil

Por Gabriel Araujo

SÃO PAULO (Reuters) - A fornecedora portuguesa de serviços de helicópteros OHI prevê que suas receitas aumentem em cerca de 30% em 2024, impulsionadas pela forte demanda do setor de petróleo e gás no Brasil, disse o presidente-executivo, Jeremy Akel.

O Brasil é o mercado número 1 para a empresa que opera voos para grandes petrolíferas, como Petrobras e Exxon Mobil.

"Já garantimos (os clientes), principalmente devido ao petróleo e gás offshore", disse Akel sobre o aumento de receita esperado para este ano.

"De 2019 até hoje, o que fizemos foi triplicar nossas receitas", disse o executivo. "Temos grandes planos para, essencialmente, dobrar nosso tamanho novamente nos próximos cinco anos."

As receitas da OHI em 2023 foram estimadas em cerca de 380 milhões de dólares.

A OHI opera cerca de 200 voos por dia, transportando 750 mil passageiros por ano.

Além do Brasil, que em novembro bateu recordes de produção de petróleo e vem instalando novas plataformas de produção, a OHI também atua na Guiana, um dos produtores de petróleo de crescimento mais rápido do mundo, e em Moçambique.

Mais nações poderão ser adicionadas em breve, disse Akel, com Suriname e Namíbia entre as que estão sendo examinadas.

Continua após a publicidade

"Esses países se parecem um pouco com o Brasil, e podemos aproveitar nossos pontos fortes", disse ele.

A empresa está procurando diversificar as operações em áreas como serviços de helicóptero para projetos de serviços públicos em terra, drones e mobilidade aérea urbana, acrescentou o presidente-executivo.

Em agosto, a OHI lançou no Brasil uma unidade chamada Revo para transportar os super-ricos entre os bairros mais ricos de São Paulo, e já aumentou o número de voos.

"Temos grandes ambições (para a Revo). Queremos estar em cinco megacidades até 2028", disse Akel.

As outras quatro estariam todas nas Américas, mas fora do Brasil, acrescentou ele.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes