Ibovespa titubeia em dia com 3R e PetroReconcavo em destaque

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa reduzia fôlego após recuperar momentaneamente o patamar dos 129 mil pontos mais cedo nesta quinta-feira, conforme dados nos Estados Unidos continuam esfriando apostas de um corte em março, enquanto 3R Petroleum e PetroReconcavo disparavam com sugestão de fusão de seus ativos onshore.

Às 11h07, o Ibovespa caía 0,12%, a 128.371,53 pontos. Mais cedo, na máxima, chegou a 129.046,63 pontos. O volume financeiro somava 3 bilhões de reais.

No exterior, novos dados sobre a economia norte-americana eram monitorados, como um número melhor do que as expectativas sobre os pedidos semanais de auxílio-desemprego. Agentes financeiros continuam ajustando expectativas em relação ao começo dos cortes de juros principalmente nos Estados Unidos.

Em Wall Street, os futuros acionários não tinham uma direção comum, enquanto os rendimentos dos títulos do Tesouro norte-americano mostravam elevação.

De acordo com a analista Ipek Ozkardeskaya, do Swissquote Bank, investidores continuam a recuperar o "bom senso" e isso envolve reduzir as expectativas de queda das taxas de juro que surgiram nos últimos meses.

"Dados econômicos robustos (recentes) contribuíram para a ideia de que, sim, talvez março seja demasiado cedo para o Fed anunciar o primeiro corte das taxas", afirmou em comentário enviado a clientes mais cedo, referindo-se ao Federal Reserve.

"O Fed irá provavelmente começar a cortar no primeiro semestre, mas março parece (uma aposta) excessivamente otimista dada a força contínua dos dados econômicos."

DESTAQUES

Continua após a publicidade

- 3R PETROLEUM ON disparava 9,19%, a 29,81 reais, e PETRORECONCAVO ON saltava 11,70%, a 23,00 reais, após proposta de acionista da 3R de cisão dos ativos "onshore" da companhia, defendendo a fusão deles com os da PetroReconcavo. Analistas consideraram, em um primeiro momento, a notícia positiva para ambas.

- HAPVIDA ON caía 3,95%, a 4,13 reais, engatando a terceira queda seguida, após tocar uma máxima intradia desde meados de dezembro no último dia 15. No radar, reportagem publicada pelo Estadão, o grupo é acusado de descumprir sistematicamente decisões judiciais favoráveis aos seus beneficiários. No setor de saúde no Ibovespa, REDE D'OR ON registrava elevação de 0,33%.

- VALE ON subia 0,81%, a 70,01 reais, encontrando amparo na recuperação dos preços futuros do minério de ferro, auxiliados pela esperança renovada de mais estímulos por parte da China, principal mercado consumidor do minério, após um discurso de uma autoridade do órgão de planejamento estatal. Até a véspera, as ações da Vale haviam fechado em baixa em 11 dos 12 pregões de janeiro, acumulando no período queda de 10%.

- PETROBRAS PN avançava 0,24%, a 37,97 reais, em sessão sem uma tendência clara para os preços do petróleo no exterior, onde o barril Brent registrava neste momento variação negativa de 0,04%.

- ITAÚ UNIBANCO PN cedia 0,24%, a 32,92 reais, enquanto BRADESCO PN caía 0,51%, a 15,68 reais, com o principal destaque negativo do setor no Ibovespa sendo BTG PACTUAL UNIT, que era negociada em baixa de 1,27%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes