China promete medidas mais enérgicas para apoiar confiança do mercado

PEQUIM (Reuters) - A China tomará medidas mais enérgicas e eficazes para apoiar a confiança do mercado, informou a mídia estatal CCTV nesta segunda-feira, citando uma reunião de gabinete, após queda nas ações locais.

A segunda maior economia do mundo enfrenta múltiplos desafios, incluindo um mercado imobiliário fraco, uma demanda lenta, pressões deflacionárias e incertezas geopolíticas. Estes fatores pesaram sobre a bolsa nos últimos dias.

"A China consolidará e fortalecerá a tendência ascendente da recuperação econômica e promoverá o desenvolvimento estável e saudável do mercado de capitais", informou a CCTV, citando a reunião de gabinete realizada na segunda-feira, presidida pelo primeiro-ministro Li Qiang.

A China também aumentará o capital de médio e longo prazo no mercado e fortalecerá a “estabilidade interna”, acrescentou a mídia estatal.

O índice blue chip CSI300 do país caiu 1,6% na segunda-feira, para seu nível de fechamento mais baixo em quase cinco anos, enquanto o índice de referência Shanghai Composite Index registrou sua maior queda em um dia desde abril de 2022, com baixa de 2,7%.

À medida que as ações caíam, os principais bancos estatais passaram a apoiar o iuan chinês, reduzindo a liquidez no mercado cambial offshore, ao mesmo tempo que vendiam ativamente dólares norte-americanos onshore, informou a Reuters na segunda-feira, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

A economia da China cresceu 5,2% no ano passado, um pouco mais do que a meta oficial do governo, mas a recuperação foi muito mais instável do que os investidores esperavam.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que a economia da China crescesse 4,6% este ano.

(Reportagem de Ellen Zhang, Liz Lee e Albee Zhang)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes