Petróleo sobe 1% com queda de estoques nos EUA e estímulo da China

Por Scott DiSavino

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram cerca de 1% nesta quarta-feira devido a uma queda maior do que a esperada nos estoques de petróleo nos Estados Unidos, um recuo na produção de petróleo norte-americano, estímulo econômico chinês, tensões geopolíticas e um dólar mais fraco.

O petróleo Brent subiu 0,49 dólar, ou 0,6%, para fechar a 80,04 dólares por barril, enquanto o petróleo West Texas Intermediate dos EUA (WTI) encerrou com alta de 0,72 dólar, ou 1,0%, a 75,09 dólares.

O banco central da China irá reduzir a quantidade de dinheiro que os bancos devem manter como reservas a partir de 5 de fevereiro, uma medida que deverá reforçar uma frágil recuperação econômica.

Os estoques de petróleo dos EUA caíram 9,2 milhões de barris na semana passada, disse a Administração de Informação de Energia, contra a queda de 2,2 milhões de barris prevista anteriormente por analistas em uma pesquisa da Reuters. [EIA/S] [EIA/A]

"É um boletim meteorológico geral... Ninguém estava dirigindo (semana passada). Um grande número é que a produção doméstica caiu e a produção de Bakken sofreu um grande golpe", disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia do Mizuho, ​​um banco.

A produção de petróleo dos EUA caiu de um recorde de 13,3 milhões de barris por dia (bpd) há duas semanas para uma mínima de cinco meses de 12,3 milhões de bpd na semana passada, depois que um frio extremo desafiou as operações.

Autoridades de Dakota do Norte disseram que pode levar um mês para que a produção de petróleo no Estado, que inclui o campo de shale de Bakken e é o terceiro maior Estado produtor de petróleo, se recupere depois que o clima extremo da semana passada reduziu a produção em mais da metade.

As tensões geopolíticas permaneceram em foco um dia depois de uma coligação de 24 nações liderada pelos EUA e pela Grã-Bretanha ter conduzido novos ataques contra combatentes houthi no Iêmen que têm atacado o comércio global.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Scott DiSavino, Laila Kearney, Ahmad Ghaddar, Noah Browning, Colleen Howe e Muyu Xu)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes