Como aplicar dinheiro no Tesouro Direto

O que são títulos públicos?
Os títulos públicos são emitidos pelo governo federal, que tem como objetivo juntar dinheiro para pagar e financiar suas atividades, como educação, saúde e infraestrutura.

Assim, quando uma pessoa compra um título público, está emprestando dinheiro ao governo. O órgão responsável pela emissão dos títulos é a Secretaria do Tesouro Nacional.

Como investir
As pessoas podem comprar títulos de duas maneiras. A primeira delas é participando de um fundo que invista neles. Nesse caso, a compra dos títulos é realizada por um administrador profissional.

A segunda forma é comprar diretamente na Secretaria do Tesouro, pela Internet, por meio de um serviço chamado Tesouro Direto (URL encurtada: http://zip.net/bqrs5J).

Para realizar essa compra direta, a pessoa precisa morar no Brasil, ter CPF (Cadastro de Pessoa Física) e estar cadastrada em um banco ou corretora autorizada pela Secretaria do Tesouro Nacional.

O cadastro em um banco ou corretora também é necessário para quem investe por meio de um fundo.

Nele, deve ser informado nome, profissão, endereço e entregues cópias do RG, CPF e comprovante de residência do investidor.

Assim, a corretora abre uma conta desse investidor na Bovespa. Cada instituição determina qual a quantia mínima para a abertura da conta.

A lista destas entidades é encontrada neste link (URL encurtada: http://zip.net/byrryW)

Para quem opta pela compra direta, depois de feita a inscrição em um destes bancos ou corretoras, o investidor recebe uma senha para ter acesso à operação pela Internet.

A negociação é feita no site do Tesouro Nacional (URL encurtada: http://zip.net/bqrs5J)

Os títulos públicos podem ser pré-fixados (nesse caso, o rendimento é definido no momento em que é feito o investimento) ou pós-fixados (isso significa que a rentabilidade está associada a algum índice, como o IGP, por exemplo).

Quando comprados, os títulos têm um prazo de vencimento, que significa o dia em que o governo pagará ao investidor o dinheiro que ele investiu.

O investidor também pode negociar os títulos antes dessa data, mas receberá o valor de mercado do título naquele momento, que pode ser maior ou menor que o estipulado para o vencimento.

No caso dos títulos, o dinheiro é depositado ou retirado na conta do investidor no dia seguinte ao da ordem de venda ou compra.

Qual o grau de risco desse investimento?
Os títulos são investimentos de baixo risco, pois o governo é o credor. Mas, se o investidor vender seus títulos antes da data de vencimento, o ganho ou a perda estará sujeito ao valor de mercado do título naquele momento.

A decisão entre comprar um título público pós ou pré-fixado varia de acordo com o período e o tempo em que o investidor precisará resgatar o dinheiro.

Como são indexados a algum índice, os títulos pós-fixados se favorecem em um momento de alta dos juros. Já os pré-fixados podem garantir o rendimento em um momento de queda de juros.

Taxas
As operações com títulos públicos estão sujeitas ao pagamento de taxas. Verifique isso antes de escolher sua aplicação:

  • Taxa de corretagem - paga por cada operação de compra e venda de títulos públicos.
  • Taxa de custódia - paga à Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). É calculada anualmente e cobrada sobre o total operado (compra ou venda) proporcionalmente ao período do investimento. Por exemplo, se o investidor ficou com o título por oito meses, pagará um valor calculado em relação a esse período.
  • Taxa de administração - nos fundos, ainda há as taxas de administração (calculada anualmente em relação ao valor aplicado no fundo e cobrada proporcionalmente ao período em que o investidor manteve operações. Se o investidor retirar o dinheiro em seis meses, pagará uma taxa proporcional ao período).
  • Taxa de performance - Essa taxa pode ser cobrada quando o fundo supera a rentabilidade esperada.

Qual o valor mínimo para investir?
A quantidade mínima de compra é a fração de 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, desde que respeitado o valor mínimo de R$ 30,00.

O valor máximo para aplicação é R$ 1 milhão por mês.

Não há limite financeiro para venda.

Dúvidas e sites úteis
Mais informações sobre investimentos em títulos públicos podem ser obtidas no site Portal do Investidor (URL encurtada: http://zip.net/bxrtf7), da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Dúvidas também podem ser esclarecidas pelo Serviço de Atendimento ao Cidadão da CVM: (URL encurtada: http://zip.net/bprs2Z)

O site do Tesouro Nacional (URL encurtada: http://zip.net/bqrs5J) também oferece informações sobre as negociações de títulos públicos.

Saiba mais 
Mande sua pergunta pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br

Fontes
Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais)
CVM (Comissão de Valores Mobiliários)
Corretora Ágora
FEI (Faculdade de Engenharia Industrial)
PUC (Pontíficia Universidade Católica de São Paulo)
XP Investimentos

UOL Cursos Online

Todos os cursos