IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Empregos e carreiras


Veja como virar um tradutor juramentado; salário pode chegar a R$ 5.000

Lucas Gabriel Marins

Colaboração para o UOL, em Curitiba

2019-06-24T04:00:00

24/06/2019 04h00

No Brasil, nenhum documento tem efeito em repartições públicas da União, dos estados ou dos municípios se estiver em outro idioma que não seja o português. Certidões de nascimento, procurações e até passaportes precisam ser transcritos por um tradutor juramentado, também conhecido como tradutor público e intérprete comercial. Também ao contrário, entidades estrangeiras exigem que documentos sejam traduzidos do português para sua língua.

O salário depende da produção, mas pode chegar a R$ 5.000 por mês, segundo profissionais. O UOL conversou com representantes, entidades e profissionais da área e preparou um passo a passo para quem deseja seguir nessa atividade.

O que é um tradutor juramentado?

É o profissional que faz tradução de documentos oficiais de outro idioma para o português e vice-versa. Diferentemente da tradução simples, o documento transcrito por um tradutor juramentado tem efeito legal na esfera pública.

Quais os requisitos para ser um tradutor juramentado?

É preciso ter no mínimo 21 anos, ser brasileiro nato ou naturalizado e não ter sido condenado por crime cuja pena tenha sido a demissão de cargo público. É necessário também estar em dia com as obrigações militares.

Como virar um tradutor juramentado?

Para trabalhar com tradução juramentada, é preciso passar em um concurso público organizado pelas juntas comerciais de cada estado. Quando editais são publicados, sindicatos e associações da área geralmente promovem cursos preparatórios.

Quando é o próximo concurso para tradutor juramentado?

Os concursos não têm data prevista, mas geralmente ocorrem a cada dez anos e são feitos de acordo com a necessidade de cada unidade da federação.

Como é a prova para virar tradutor público?

No teste, aplicado pelas juntas comerciais, os candidatos devem traduzir um texto, de 30 linhas ou mais, do idioma escolhido para o português e vice-versa. Também há uma prova oral, em que é necessário ler textos em ambas as línguas.

As notas vão de zero a dez, e só consegue o título de tradutor aquele que alcançar pelo menos média sete.

É necessário ter formação superior para traduzir documentos públicos?

Não, mas o interessado precisa ter conhecimentos no idioma que pretende traduzir e em língua portuguesa.

É possível ganhar a vida como tradutor juramentado?

Sim, segundo o tradutor público Adriano Greco da Fonseca, 46. "Mas em alguns períodos é preciso completar o trabalho com outras atividades", disse ele, que é formado em relações internacionais e atua com transcrição pública de documento desde 2000, em Curitiba.

Quanto ganha um tradutor juramentado?

De acordo com profissionais da área e entidades do setor, o salário de um tradutor público varia entre R$ 2.000 e R$ 5.000 e depende muito do estado e da quantidade de documentos traduzidos por mês.

Existe uma tabela de preço, disposta nos sites das juntas comerciais de cada entidade da federação, com os valores de transcrição. O valor para traduzir passaportes, certidões de nascimento, carteiras de identidade e documentos similares de outro idioma para ao português, por exemplo, é de R$ 50,14 por lauda. Já do português para outra língua é de R$ 62,70 por lauda.

Como está o mercado de trabalho para tradutores juramentados?

Ricardo Souza, presidente da Abrates (Associação Brasileira de Tradutores e Intérpretes), disse que o mercado de tradução pública está aquecido, puxado principalmente pelo volume de pedidos de transcrição de documentos para imigração.

Que tipo de documento é traduzido por um tradutor juramentado?

Diplomas universitários, históricos escolares, certidões de nascimento, carteiras de habilitação, contratos, autos de processos judiciais, passaportes, sentenças, procurações, testamentos, entre outros.

Quantos tradutores públicos há no Brasil?

A Abrates não tem números de todo o país, mas associações e juntas comerciais dos estados fornecem dados regionais. Segundo a Associação Profissional dos Tradutores Públicos do Estado de São Paulo (Atpiesp), por exemplo, há 1.500 pessoas que exercem a atividade na região.

No Paraná, segundo a Junta Comercial do estado, há 227 profissionais registrados em 13 idiomas.

Fontes consultadas: Associação Profissional dos Tradutores Públicos do Estado de São Paulo (Atpiesp); Ricardo Souza, presidente da Abrates (Associação Brasileira de Tradutores e Intérpretes); Junta Comercial do Paraná e o tradutor público Adriano Greco da Fonseca.

Reportagem da Folha testa tradutor de bolso

TV Folha

Mais Empregos e carreiras