Opinião

Criptomoeda: o segredo dos investidores e o conceito do ciclo de 4 anos

Em vista dos nítidos sinais recentes que apontam para o retorno do bull market nos criptoativos, chega o momento propício para reintroduzir o conceito do ciclo de quatro anos a uma nova leva de investidores aspirantes. Se familiarizar com os estágios deste ciclo deve ser sua prioridade número um após chegar à conclusão de que investir em bitcoin faz sentido para você. No curto e médio prazo, "quando investir" é uma decisão tão importante quanto "em que" investir.

Introdução ao ciclo de preço do bitcoin

Entre os equívocos mais comuns cometidos por investidores que adentram o mundo dos criptoativos, talvez não contemplar o ciclo de quatro anos seja o mais grave e corriqueiro. Desde o lançamento do bitcoin em 2009, os movimentos de preço do próprio bitcoin e, como consequência, do mercado de ativos digitais todo, reiteram um padrão de quatro anos balizado por uma máxima e uma mínima de preço que engloba quatro fases: alta, distribuição, queda e acumulação. Reconhecer o presente estágio desse ciclo é uma das considerações mais importantes na hora de comprar, vender ou permanecer fora de campo.

Antes de entrar em maiores detalhes, é importante frisar que o mercado de criptoativos existe há menos de 15 anos, e esse padrão só se replicou três vezes, podendo nunca mais se repetir. Os criptoativos são uma classe de ativos extremamente voláteis e imprevisíveis no curto prazo. É importante estabelecer uma estratégia de alocação de recursos, juntamente a um profissional do ramo, condizente com a situação e metas financeiras individuais antes de investir.

Dado esse disclaimer, não é exagero afirmar que a antecipação dessa série de estágios distintos na trajetória de preço do bitcoin é a tese de investimento mais amplamente disseminada entre aqueles que investem em cripto —desde os investidores mais casuais até os mais sofisticados. Seja você um crente ou um cético do poder determinístico desse ciclo, é indispensável entender o impacto dessa tese no psicológico coletivo dos investidores de criptoativos.

As causas do ciclo de quatro anos

A dinâmica do ciclo de quatro anos do bitcoin é impulsionada por uma ação programática que ocorre a cada 210 mil blocos na rede. Nesse ponto, a recompensa de bloco concedida aos mineradores é reduzida pela metade. Como a criação de novos bitcoins é exclusivamente vinculada a esse processo, a redução efetiva da expansão monetária (inflação) do protocolo altera as forças de oferta e demanda. O bitcoin produz aproximadamente 210 mil blocos a cada quatro anos, explicando a tendência do preço a seguir um ciclo dessa duração.

Apesar da aparente relação causal entre o corte da recompensa de blocos e os picos históricos do bitcoin a cada quatro anos, alguns investidores questionam essa explicação. Alternativamente, há teses macroeconômicas que propõem uma correlação entre a liquidez dos mercados globais e outros que consideram essa relação como uma profecia autorrealizável. Ou seja, o ciclo pode durar quatro anos porque os investidores baseiam suas decisões presumindo que o ciclo ocorrerá novamente. Dada a curta história de preço do bitcoin, todas essas teses são plausíveis e não mutuamente exclusivas, indicando que a natureza cíclica do preço do bitcoin pode resultar de uma combinação desses fenômenos.

Alta, surfando até o topo da onda

Atualmente, todos os indicadores sugerem que estamos no estágio de alta do ciclo, com o preço do bitcoin registrando uma recuperação de 150% desde o início de 2023. Embora essa alta tenha começado no estágio anterior (acumulação), a maior parte dos retornos geralmente ocorre durante a fase atual do ciclo, que aparentemente começou em meados de outubro deste ano.

Continua após a publicidade

O volume de transações (aumento de 100% desde outubro) e o número de participantes ativos na rede (aumento de 10% no mesmo período) devem continuar crescendo. A mídia começará a destacar criptoativos em suas manchetes, reforçando o otimismo em torno das perspectivas de investimento da classe de ativos e atraindo novos investidores.

Distribuição, vendendo a esperança

Após a temporada alta, o mercado entrará em equilíbrio entre compradores e vendedores, levando a uma estabilização do preço do bitcoin. O volume de transações continuará crescendo, mas o ímpeto de alta diminuirá. O sentimento otimista dará lugar a uma confiança exagerada.

Atraídos por manchetes destacando os altos retornos do bitcoin, investidores menos informados entrarão no mercado, comprando tokens de investidores que estão liquidando posições acumuladas durante a fase de acumulação ou o início da alta. Este estágio é geralmente o mais curto do ciclo, durando dois meses ou menos. Investidores tardios ou aqueles que deixam a ganância retardar a realização de lucros estão em risco de perdas substanciais.

A queda, fique fora de campo

Eventualmente, o número de vendedores supera o número de compradores, e o preço do bitcoin começa a cair. No início desse estágio, haverá um debate intenso sobre o momento certo para sair, com alguns ainda prevendo futuras altas e outros convictos de que a bonança está prestes a acabar.

Continua após a publicidade

Após uma queda acentuada, ficará evidente que o momento de altas chegou ao fim, e a pressão de venda por parte de investidores que buscam escapar de um mercado em declínio levará ao pico cíclico do volume de transações, enquanto o preço continua a cair.

No final deste estágio, a mídia destacará a "morte do mercado de criptoativos", com uma série de matérias declarando os ativos digitais como uma experiência fracassada, reivindicando a opinião dos céticos e invejosos que se recusaram a investir.

Acumulação, comprando o desespero

Após uma queda constante e pronunciada do preço do bitcoin, inicia-se o estágio de acumulação. O volume de transações e a volatilidade atingirão o ponto mínimo do ciclo, enquanto o preço do bitcoin permanece lateralizado por cerca de um ano.

Na mídia, a cobertura negativa da classe de ativos começará a diminuir, com um número cada vez menor de manchetes sobre o assunto. No meio desse período, os últimos otimistas aceitarão que não haverá uma nova alta no curto ou médio prazo, vendendo seus tokens a preços extremamente atrativos. Esse estágio do ciclo é considerado o mais favorável para investir no ativo digital. Um exemplo desse momento ocorreu no final do ano passado, entre novembro e dezembro, quando o bitcoin foi negociado abaixo de US$ 18 mil dólares.

No mundo dos investimentos, não existem garantias, especialmente em uma classe de ativos tão nova e volátil como os ativos digitais. No entanto, ao considerar essa visão histórica da natureza cíclica do bitcoin —acompanhando indicadores simples como volume de transações, preço e sentimento público —, os investidores de criptomoedas com um horizonte de investimento mais longo aumentarão suas chances de obter retornos positivos significativos em seus investimentos.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

O UOL Economia é de propriedade do Universo Online S.A., sociedade que controla as empresas do Grupo UOL. O Grupo UOL tem em sua composição empresas que exercem atividades reguladas no setor financeiro. Apesar de o Grupo UOL estar sob controle comum, os executivos responsáveis pelo Banco Seguro S.A. são totalmente independentes e as notícias, matérias e opiniões veiculadas no portal tem como único objetivo fornecer ao público elementos a título educacional e informativo sobre o mercado e produtos financeiros, sendo baseadas em dados de conhecimento público na data de sua divulgação, conforme fontes devidamente indicadas, e condições mercadológicas externas ao Grupo UOL que podem ser alteradas a qualquer momento, mas sem constituir qualquer tipo de relatório de análise, recomendação, oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes