PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Vacina sazonal contra gripe foi 36% eficaz, dizem especialistas nos EUA

15/02/2018 19h17

Miami, 15 Fev 2018 (AFP) - A vacina contra a gripe desta temporada foi 36% eficaz no total, muito menos do que a vacina de 2016-2017, mas ainda vale a pena ser tomada porque pode ajudar a evitar complicações graves, disseram autoridades da saúde dos EUA nesta quinta-feira (15).

O relatório dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA foi divulgado nas últimas semanas da atual temporada de gripe, que tem sido a mais ativa desde a pandemia de gripe suína de 2009.

A vacina contra a gripe da última temporada foi aparentemente melhor - 48% eficaz no total e 32% nos Estados Unidos contra o tipo H3N2, a cepa mais comum do vírus.

Nesta temporada, a vacina foi apenas 25% efetiva contra o H3N2, a cepa predominante da gripe em circulação, segundo o relatório dos CDC.

Isso "indica que a vacinação proporcionou alguma proteção, em contraste com estimativas interinas não significativas relatadas recentemente, de 17% do Canadá e 10% da Austrália", disse o relatório.

O CDC enfatizou que, apesar dos baixos números, a vacina preveniu muitas internações relacionadas à gripe entre crianças de seis meses a oito anos.

Além disso, a vacina "forneceu proteção substancial" contra os vírus circulantes H1N1, que foram menos comuns do que o H3N2 este ano.

A vacina foi 67% eficaz contra o H1N1.

"Os CDC continuam recomendando a vacinação contra a gripe, enquanto os vírus da gripe estão circulando na comunidade; é provável que haja mais algumas semanas de atividade da gripe", afirmou.

A eficácia da vacina contra a gripe muda de ano para ano, e variou de 10% a 60% ao longo dos últimos 12 anos, de acordo com o médico Robert Glatter, do Lenox Hill Hospital, em Nova York.

Ainda assim, ele disse, vale a pena tomá-la, até que uma vacina melhor e universal possa ser feita.

"Ainda é prudente tomar a vacina porque a gravidade da sua doença será reduzida", apontou.

Pesquisas mostraram que uma mutação na cepa H3N2 do vírus, que não apareceu na vacina produzida em massa que é cultivada usando ovos, é a razão pela qual a vacina ofereceu pouca proteção na última temporada.