PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

VW e Ford confirmam aliança de produção, e Trump elogia alemã

15/01/2019 16h33

Detroit, Estados Unidos, 15 Jan 2019 (AFP) - A alemã Volkswagen e a americana Ford anunciaram, nesta terça-feira (15) que as fabricantes acordaram uma aliança para desenvolverem, juntas, vans comerciais e picapes a partir de 2022, em uma tentativa de reduzir os custos.

O anúncio foi feito após mais de seis meses de negociações entre as duas fabricantes automotivas, que incluíram diálogos sobre tecnologias de veículos autônomos e elétricos.

As empresas afirmaram que concordaram em "investigar a colaboração em veículos autônomos, serviços de mobilidade e carros elétricos e começar a explorar essas oportunidades".

O acordo entre as montadoras alemã e americana para criar vans comerciais de picapes de médio porte a partir de 2022 não envolve uma propriedade cruzada, segundo um comunicado conjunto.

O CEO da Volks, Herbert Diess, afirmou que a aliança será um pilar em nosso percurso para ampliar a competitividade".

A aliança será governada por um comitê conjunto, chefiado pelos CEOs das duas empresas. A Ford será responsável pelas picapes de médio porte das duas montadoras.

A americana também vai montar vans comerciais para os consumidores europeus, enquanto a Volkswagen desenvolverá uma van urbana.

Essa aliança ocorre depois que outras empresas do setor anunciarem acordos semelhantes.

A Honda investiu 2,5 bilhões de dólares na Cruise, uma subsidiária da GM, em troca de uma participação de 5,7%. A Toyota e a Mazda planejam abrir uma fábrica conjunta na cidade de Huntsville, Alabama, no sul dos Estados Unidos, em 2021.

A indústria está em uma encruzilhada na corrida para o desenvolvimento de novas tecnologias, às quais concorrentes do Vale do Silício, como Uber, Tesla e Waymo-Google, aderiram.

- Desafio das novas tecnologias -A especialista Michelle Krebs, da Autotrader, disse que é provável que a indústria tenha mais colaborações, como a anunciada por Ford e Volkswagen.

"Um único fabricante não pode fazer todas as coisas para todos os clientes do mundo, à medida que a tecnologia dos veículos e o desenvolvimento se torna cada vez mais caro", disse.

Em teleconferência com a imprensa e investidores, os presidentes das duas marcas disseram estar determinados a continuar com as negociações para expandir seu acordo de colaboração para incluir novas tecnologias.

A associação deve se traduzir em uma economia "considerável" e impulsionar os lucros operacionais das duas empresas a partir de 2023.

A necessidade deste tipo de alianças não exclui as dificuldades implicadas em duas empresas com culturas muito diferentes trabalharem juntas, explicou Karl Brauer.

"Como mostram atualmente as controvérsias acerca da aliança entre Renault-Nissan-Mitsubishi, uma colaboração não é sempre fácil e o sucesso não está garantido", alertou Brauer.

Este é o segundo grande anúncio da Volkswagen, após na segunda-feira a marca revelar um plano de investimento em uma fábrica nos Estados Unidos para construir carros elétricos.

Nesta terça, o presidente americano Donald Trump elogiou a Volkswagen por seu anúncio de que investirá US$ 800 milhões em sua fábrica de Chattanooga, nos Estados Unidos. A empresa prometeu criar mil novos postos de trabalho no local.

"Felicidades a Chattanooga e ao Tennessee pelo trabalho bem feito. Uma grande vitória", celebrou o mandatário.