PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Parques de exposições europeus pedem reabertura 'urgente'

A EUREXPO, na França, é um dos espaços da Emeca - NurPhoto via Getty Images
A EUREXPO, na França, é um dos espaços da Emeca Imagem: NurPhoto via Getty Images

Em Paris (França)

10/06/2020 09h13

Os grandes parques de exposições na Europa alertaram, hoje, sobre a "urgência" de sua reabertura e pediram ajuda financeira, devido à crise causada pelo novo coronavírus, que os levou a perder 125 bilhões de euros (US$ 142,250 bilhões).

"A partir do mês de março, todos os eventos e salões são proibidos, e isso pelo menos até 1º de setembro", o que tem "um impacto econômico considerável", destacou a associação Emeca, que reúne os grandes parques de exposições e grandes centros de convenções do Velho Continente, em um comunicado.

A Emeca também pede "um forte apoio financeiro por parte dos poderes públicos nacionais e europeus para garantir a sobrevivência e a recuperação econômica de todo um setor", com medidas como a moratória do aluguel, entre outras.

Além disso, a paralisação dos centros de convenções também afeta inúmeras pequenas e médias empresas que dependem deles, como as que montam os estandes, empresas de alimentos, de logística, ou hotéis.

"Fomos o primeiro setor forçado a fechar nossas portas e podemos ser os últimos a abri-lo ao público", afirmou o presidente da Emeca, Maurits van der Sluis, que diz que seu setor precisa que as restrições de viagem sejam suspensas primeiro.

Adiamentos e cancelamentos de eventos fizeram o setor perder 40% de sua receita no primeiro trimestre, e 100%, no segundo, ressalta o presidente da Emeca, acrescentando que, no terceiro trimestre, essa queda deve ser de 60%.