PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Com risco de falência, fundador da Evergrande tenta tranquilizar funcionários

Vista do exterior do centro da Evergrande em Hong Kong - Bob Yip/Reuters
Vista do exterior do centro da Evergrande em Hong Kong Imagem: Bob Yip/Reuters

Da AFP

21/09/2021 06h03Atualizada em 21/09/2021 06h55

O presidente da Evergrande, gigante do setor imobiliário da China, afirmou aos funcionários da empresa confiar que o grupo sairá "em breve de seu momento mais obscuro", informou a imprensa estatal nesta terça-feira (21), após um dia de temores nas Bolsas de todo o mundo.

A incorporadora imobiliária enfrenta a revolta de compradores e investidores, que temem perder dinheiro com a possível falência da Evergrande, que tem dívidas superiores a 300 bilhões de dólares.

Xu Jiayin, fundador da empresa em 1996, afirmou em uma carta aos funcionários que "acredita firmemente que a Evergrande poderá sair em breve de seu momento mais obscuro", informou o jornal estatal Securities Times.

O empresário escreveu ainda que a empresa retomará por completo seu trabalho e produção, garantirá a entrega dos imóveis e "apresentará uma resposta responsável aos compradores de casas, investidores, sócios e instituições financeiras".

A carta felicita os funcionários pelo Festival do Meio do Outono, uma tradição importante na China, celebrada com dois dias livre.

O texto foi divulgado após um dia de pânico nas Bolsas asiáticas e ocidentais, com o temor de que uma falência da gigante imobiliária afete a economia chinesa e o resto do mundo.

A crise da Evergrande provocou protestos incomuns diante dos prédios da empresa na China, organizados por investidores e fornecedores que exigiam seu dinheiro. Algumas pessoas afirmaram que devem receber até um milhão de dólares da empresa.

O grupo admitiu na semana passada que está sob "tremenda pressão" e que pode não ter capacidade de pagar suas obrigações.

PUBLICIDADE