Cinco coisas que vão dar o que falar hoje

Lorcan Roche Kelly

(Bloomberg) - O petróleo caiu, as ações chinesas despencaram e o rand sul-africano levou uma surra. Eis alguns dos assuntos que vão dar o que falar nos mercados nesta manhã.

Petróleo

Os futuros do WTI em Nova York registravam um recuo de 1,9 por cento, para US$ 32,50 por barril, e os contratos para o petróleo bruto Brent caíam 2,2 por cento, para US$ 32,80, às 10h43, horário de Londres. O Morgan Stanley advertiu que uma valorização rápida do dólar americano poderia fazer com que o petróleo bruto Brent chegue a US$ 20 por barril. A Arábia Saudita, que está cogitando abrir o capital da Saudi Aramco, disse em um comunicado publicado pela Agência Monetária Saudita que manterá a ligação cambial entre o rial e o dólar, vigente há trinta anos. A declaração foi publicada depois que os contratos de futuros para o rial a 12 meses subiram na sexta-feira para o valor mais alto desde pelo menos dezembro de 1996.

Ações chinesas

As ações do Shanghai Composite Index fecharam com uma baixa de 5,3 por cento, aumentando assim a queda de 10 por cento registrada na semana passada. O declínio ocorreu embora o yuan tenha se valorizado após uma segunda fixação estável do banco central. Suspeita-se que intervenções do Banco Popular da China absorveram a oferta offshore da moeda na semana passada, o que fez com que as taxas interbancárias do yuan em Hong Kong batessem recordes para os empréstimos com vencimentos de um dia até um ano.

Ações europeias

Apesar de terem começado bem a manhã, as ações europeias passaram a cair. O Europe Stoxx 600 registrava uma baixa de 0,1 por cento por volta das 10h58, horário de Londres. O FTSE também passou a cair após um começo de sessão forte. Os futuros dos EUA registram uma pequena alta, pois o foco dos investidores está passando para os lucros. A Alcoa Inc. informará os seus depois do encerramento da sessão e marcará o começo não oficial da temporada de lucros.

Rand

O rand sul-africano sofreu uma espécie de "flash crash" quando iniciou a sessão. A moeda chegou a afundar 9 por cento e atingiu 17,9169 por dólar antes de deter as perdas. O Macquarie Bank Ltd. disse que talvez hoje não seja um dia excepcional para a moeda, pois o número de contratos em aberto entre os traders do varejo japonês é o mais alto depois do dólar e da libra esterlina, sendo que as posições mais do que dobraram entre junho e dezembro porque o rand perdeu 24 por cento frente ao iene. O declínio do rand está alimentando a especulação de que o banco central reagirá com mais energia em sua reunião sobre política econômica neste mês.

Ganhos nos bonds dos EUA (por enquanto)

O maior credor estrangeiro dos EUA, a China, está vendendo suas obrigações em títulos do Tesouro dos EUA. Por enquanto, pelo menos, o mercado continua despreocupado com isso, sendo que o empurrão - a venda na China - está pesando menos que o puxão - apostas em refúgios seguros em meio às preocupações com o crescimento global, que, ironicamente, são causadas pela China. Mundialmente, a história é muito parecida, pois os yields de bonds estão caindo para o valor mais baixo em oito meses.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos