Bolsas

Câmbio

Brent perto de menor nível em 12 anos com fim de sanções ao Irã

Ben Sharples e Grant Smith

(Bloomberg) -- O petróleo Brent foi negociado próximo do menor nível em 12 anos em Londres, caindo brevemente para menos de US$ 28 o barril, depois que o fim das sanções internacionais ao Irã abriu caminho para uma oferta maior em meio a um excedente global.

Os contratos futuros apresentavam pouca oscilação, após cair mais cedo até 4,4% em Londres ao nível mais baixo desde novembro de 2003.

O Irã está dando início aos esforços para aumentar a produção e as exportações em 500 mil barris por dia agora que as restrições acabaram, disse o vice-ministro de petróleo para comércio e assuntos internacionais, Amir Hossein Zamaninia, no domingo.

O ministro do petróleo saudita, Ali al- Naimi, descartou o temor sobre a oferta com uma projeção de que os preços vão se recuperar.

"O provável aumento da produção iraniana de petróleo não poderia ter vindo em um momento mais desfavorável, com o mercado de petróleo com excesso de oferta e novas preocupações econômicas", disse Giovanni Staunovo, analista do UBS em Zurique, em um relatório. "Não vale a pena manter uma exposição direta ao petróleo bruto enquanto não houver mais clareza".

O Brent teve um terceiro prejuízo anual em 2015, quando a Opep efetivamente abandonou os limites à produção. O Irã, que era o segundo maior produtor da Opep antes do aumento das sanções em 2012, está tentando reconquistar a participação de mercado perdida e não pretende pressionar os preços, disseram autoridades do ministério do petróleo e de sua empresa de petróleo nacional neste mês.

Exportações iranianas

O Brent para março caiu até US$ 1,27, para US$ 27,67 o barril, na bolsa ICE Futures Europe, em Londres, e estava em US$ 28,90 às 13h32 pelo horário de Londres. Os preços de contratos prévios de um mês caíram 14% na semana passada, terceira queda semanal. O petróleo de referência na Europa apresentava um desconto de até US$ 1,34 em relação ao West Texas Intermediate para março, mais cedo alcançou o maior desconto desde 2010.

O WTI para entrega em fevereiro chegou a cair US$ 1,06, ou 3,6%, para US$ 28,36 o barril, na New York Mercantile Exchange. O contrato caiu US$ 1,78 na sexta-feira. O volume total negociado na segunda-feira era mais que o dobro da média de 100 dias. Os preços caíram 22% neste ano.

Os compradores do petróleo iraniano estão livres para importar o quanto quiserem do produto depois que a Agência Internacional de Energia Atômica determinou que o país havia reduzido sua capacidade de desenvolvimento de armas nucleares. Detentor da quarta maior reserva mundial de petróleo e dos maiores depósitos de gás natural, o país ganha acesso imediato a cerca de US$ 50 bilhões em contas congeladas no exterior, recursos que o governo diz que usará para reconstruir indústrias.

"Continua a incerteza em relação a quanto petróleo o Irã poderá trazer a curto prazo, assim como sua estratégia de retorno ao mercado", disse Victor Shum, vice-presidente da IHS para a região Ásia-Pacífico, no domingo. "Os níveis de exportação poderiam, de forma viável, acelerar rapidamente devido à liberação dessa oferta reprimida".

O país do Golfo Pérsico conseguirá aumentar sua produção de petróleo em apenas 100 mil barris por dia, ou 3,7%, um mês após a eliminação das sanções, e em 400 mil em seis meses, segundo a mediana das estimativas de 12 analistas e economistas consultados pela agência de notícias Bloomberg. O Irã é o quinto maior produtor da Opep.

Perspectiva saudita

Al-Naimi, da Arábia Saudita, disse no domingo que os preços do petróleo vão subir e que as forças do mercado e a cooperação entre os países produtores levarão a uma estabilidade renovada.

Ele preferiu não comentar como a eliminação das sanções econômicas contra o Irã podem afetar os preços. A Arábia Saudita é a maior exportadora de petróleo bruto do mundo, tendo bombeado 10,25 milhões de barris por dia em dezembro, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Na semana passada, fundos hedge aumentaram as apostas pessimistas para o petróleo a um nível recorde com a queda das ações globais e com as sanções contra o Irã prestes a terminar. A posição vendida dos especuladores em WTI subiu 15% no período terminado em 12 de janeiro, mostram dados da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA. Este é o nível mais alto registrado desde 2006. As posições compradas caíram ao nível mais baixo em mais de cinco anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos