Bolsas

Câmbio

Petroleiras russas se importam mais com rublos do que com barris

Stephen Bierman

(Bloomberg) -- Para as empresas produtoras de petróleo da Rússia, o valor do rublo é mais importante do que o preço do barril.

Enquanto a Opep comemora a recuperação do petróleo, a Rosneft e a Lukoil precisam ficar de olho na valorização da moeda russa. Isso porque o avanço de 12% do rublo frente ao dólar neste ano tem um impacto mais direto sobre os lucros do que o aumento inesperado dos preços do petróleo, que acaba principalmente inchando os cofres do Kremlin, de acordo com Ildar Davletshin, analista da Renaissance Capital.

"Os movimentos do rublo são mais importantes do que os movimentos do preço do petróleo a essa altura", disse Davletshin, que trabalha em Moscou.

Alexander Dyukov, presidente da Gazprom Neft, confirmou a análise de Davletshin ao dizer que US$ 0,90 de cada dólar adicionado ao preço do petróleo vão para o governo. Embora os impostos tenham desviado a maioria dos benefícios provocados pelo salto de mais de 75% que o petróleo deu de janeiro para cá, a moeda mais forte encareceu a extração e outros custos denominados em rublos, o que estreitou as margens para as produtoras russas.

A assessoria de imprensa da Rosneft, maior produtora da Rússia, preferiu não comentar.

Crise do petróleo

A Opep decidiu defender sua participação de mercado em vez de respaldar os preços em novembro de 2014, o que criou uma abundância de oferta que fez com que o petróleo caísse. Naquele mesmo mês, o Kremlin permitiu que o rublo flutuasse, e a moeda russa perdeu 20% de seu valor no ano seguinte.

A desvalorização do rublo possibilitou que os investimentos no setor petroleiro da Rússia continuassem atraentes, disse Vagit Alekperov, presidente da Lukoil, em São Petersburgo. Também ajudou os exportadores, que ganham dinheiro em dólar, mas pagam os custos em rublos, a suportarem a crise nos mercados de petróleo.

O sistema tributário também colaborou. Em exportações normais de petróleo, o governo russo fica com praticamente tudo acima de US$ 30 a US$ 40 por barril. Isso enfraquece o impacto da queda dos preços para as empresas, protegendo-as da maior parte da crise do petróleo durante os últimos dois anos. O petróleo Brent, referência internacional, era negociado em torno de US$ 48 nesta sexta-feira.

Embora o governo tenha afirmado que vai tentar evitar mais ganhos cambiais "acentuados", o rublo está sendo negociado a pouco menos de 66 por dólar, em comparação com quase 86 por dólar em janeiro. Isso significa que parte da dinâmica que ajudou as produtoras do país a suportarem a crise já foi revertida.

"Neste momento, o rublo está se fortalecendo a um ritmo mais lento que o da recuperação do petróleo", mas apenas um pouco mais lento, disse Alexander Korsik, presidente da Bashneft. "Para nós, o mais importante é o preço do petróleo em rublos".

--Com a colaboração de Elena Mazneva e Dina Khrennikova

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos