Bolsas

Câmbio

Irã não quer acordo em Argel nem congelará produção de petróleo

Grant Smith, Angelina Rascouet e Yousef Gamal El-Din

(Bloomberg) -- O Irã não está disposto a congelar sua produção de petróleo nos níveis atuais e não pretende fechar um acordo com os demais produtores nas negociações em Argel nesta semana, disse o ministro do Petróleo do país.

O Irã quer aumentar a produção petrolífera para 4 milhões de barris por dia, disse Bijan Namdar Zanganeh em entrevista à Bloomberg TV na terça-feira.

O terceiro maior produtor da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) -- com produção diária de 3,6 milhões de barris no mês passado -- conversará com outros integrantes no Fórum Internacional de Energia na capital argelina e é possível que o grupo possa chegar a um acordo formal sobre a oferta na reunião de novembro, em Viena, disse ele.

"Não está na nossa agenda chegar a um acordo nesses dois dias", disse Zanganeh. "Estamos aqui para o fórum e temos uma reunião informal consultiva na Opep para trocar ideias. Nada mais."

A decisão da Opep de realizar conversas informais nesta semana gerou a especulação de que o grupo poderia estar prestes a se desviar da política adotada há dois anos de extrair petróleo sem limites, que prejudicou fornecedores rivais, mas também colocou os preços em queda livre.

Os ministros dos países-membros que estão chegando a Argel minimizaram a perspectiva de acordo. O Irã rejeitou a oferta da Arábia Saudita da semana passada, segundo a qual os sauditas reduziriam sua produção se o Irã também limitasse a sua aos níveis atuais.

O Irã, que nunca foi tão dependente das receitas do petróleo quanto seu vizinho do Golfo Pérsico, passou a ter perspectivas melhores diante da reaproximação com o Ocidente, que removeu sanções sobre as exportações de petróleo em janeiro.

Na Arábia Saudita, decisões preliminares em direção a uma reforma econômica não evitaram que os dois anos de preços baixos provocassem estrago nas finanças públicas: o país está queimando reservas internacionais, prestadores de serviços ao governo ficaram sem pagamento e os funcionários públicos ficarão sem bônus neste ano.

O mercado de petróleo está caminhando na direção correta, com a redução dos estoques e uma convergência entre oferta e demanda, disse o ministro de Energia e Indústria saudita, Khalid Al-Falih, a jornalistas na terça-feira. A economia saudita está muito bem, disse ele.

Zanganeh informou que o Irã deseja recuperar a participação na produção da Opep que tinha antes das sanções, de aproximadamente 13%.

Os 14 integrantes do grupo extraíram 33,7 milhões de barris de petróleo por dia no mês passado, o que significaria que o Irã pode estar mirando uma produção de até 4,4 milhões, segundo dados compilados pela Bloomberg. São cerca de 750 mil barris por dia a mais do que o país produziu no mês passado, de acordo com os dados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos