Bolsas

Câmbio

Big Mac no México custa metade do de São Paulo com efeito Trump

Isabella Cota e Aline Oyamada

  • Reprodução/McDonald's

(Bloomberg) -- Graças à queda do peso provocada pela eleição de Donald Trump e à alta do real, quem visitar o México vai pagar apenas US$ 2 (pouco mais de R$ 6) por um Big Mac, que custa mais de US$ 5 (cerca de R$ 16) em São Paulo. 

Uma corrida de 10 minutos com o Uber e o custo de uma garrafa long neck de Heineken apresentam a mesma discrepância: 

Uber

  • R$ 10,35, ou US$ 3,21 no Brasil
  • 40,58 pesos, ou US$ 1,89 no México

(70% mais caro no Brasil)

Heineken long neck

  • R$ 3,69, ou US$ 1,14 no Brasil
  • 18 pesos, ou US$ 0,84 no México

(36% mais caro no Brasil)

Big Mac

  • R$ 16,90, ou US$ 5,24 no Brasil
  • 44 pesos, ou US$ 2,05 no México

(156% mais caro no Brasil)

Os dois maiores centros financeiros da América Latina disputam o direito de reivindicar os melhores restaurantes da região, as mais ricas ofertas culturais e os engarrafamentos mais terríveis. Mas em relação aos itens relacionados acima, a cidade do México está aumentando sua vantagem sobre São Paulo.

O custo em dólar de produtos do dia a dia nas duas cidades está divergindo com a queda do peso após a eleição nos EUA e a alta do real, maior entre as moedas do mundo, no ano passado.

Comparações de custo de vida dão ao México vantagem adicional devido à taxa de inflação de 3,3%, menos da metade da taxa brasileira registrada no ano passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos