Bolsas

Câmbio

Contas hackeadas no Twitter postam suásticas e apoiam Erdogan

Nour Al Ali, Benjamin Harvey e Adam Satariano

(Bloomberg) -- Enquanto os eleitores holandeses se dirigem às urnas nesta quarta-feira, uma série de contas famosas no Twitter foram hackeadas e os atacantes postaram conteúdo em apoio ao presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em meio à disputa dele com a Alemanha e a Holanda.

Hashtags em turco dizendo "Alemanha nazista" e "Holanda nazista" apareceram em contas de Twitter verificadas do jornal alemão Die Welt, da revista Forbes, da BBC North America e da Reuters do Japão. Também foram alvos as contas de Twitter do Parlamento Europeu, de políticos franceses como Alain Juppé e do CEO e presidente da empresa Sprint, Marcelo Claure, entre outros.

"Estamos cientes de um problema que afetou uma série de usuários nesta manhã", informou a porta-voz do Twitter, Kaori Saito. "Nós localizamos rapidamente a fonte, que estava limitada a um aplicativo de terceiro. Nós removemos suas permissões imediatamente. Nenhuma outra conta foi impactada."

Uma startup com sede em Amsterdã informou que está investigando se é a fonte das postagens. O Twitter Counter, uma ferramenta de marketing que permite que pessoas e empresas monitorem sua popularidade no Twitter, informou que atualmente está impedindo as pessoas de postarem por meio de seu sistema enquanto analisa o problema. A empresa afirma que possui mais de 2 milhões de usuários e que monitora mais de 350 milhões de contas do Twitter.

"Nosso aplicativo foi usado. É preciso investigar mais", disse o CEO do Twitter Counter, Omer Ginor. "Estamos cientes da situação e iniciamos uma investigação sobre o assunto."

As ações do Twitter caíam 2 por cento, para US$ 15,01, às 10h11, em Nova York. Os papéis acumulam baixa de 6 por cento no ano.

"É improvável que ataques hacker individuais e isolados como este tenham um grande impacto sobre o Twitter", disse Cyrus Mewawalla, diretor-gerente da CM Research. "Mas o grande volume de acontecimentos desse tipo terá um impacto prejudicial. O Twitter e outros sites de redes sociais estão perto de uma reação regulatória que poderia acabar afetando seus modelos de negócios."

O Twitter Counter, que foi fundado em 2008, reportou um ataque em novembro que comprometeu as contas de empresas como Sony, Viacom, Microsoft e outras, incluindo postagens de mensagens de spam. O Twitter Counter pediu desculpas e informou que havia corrigido o problema.

Ginor afirmou que a companhia havia chegado a "95 por cento de certeza" de ter corrigido o problema após sofrer um ataque hacker em novembro. A empresa não pôde afirmar com certeza se ainda havia um hacker "à espreita nas sombras, apenas esperando pela oportunidade".

Os incidentes mostram as formas indiretas pelas quais os hackers conseguem assumir o controle do feed de uma empresa no Twitter. O Twitter Counter é um dos muitos serviços ligados ao Twitter que oferecem ferramentas de marketing e analíticas para indivíduos, empresas e outros grupos. Empresas como Time, Netflix, Chevron e YouTube utilizam o Twitter Counter, segundo seu website.

"Com o conflito político atual entre Holanda e Turquia, temos observado um aumento nos roubos de contas famosas nas redes sociais", disse Jens Monrad, analista de inteligência sênior da empresa de segurança cibernética FireEye.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos