Bolsas

Câmbio

Boeing se une à JetBlue para financiar avião elétrico de startup

Mary Schlangenstein e Julie Johnsson

  • Divulgação

(Bloomberg) -- A Boeing e a JetBlue Airways estão investindo em uma startup que desenvolve uma aeronave movida a energia elétrica com potencial para revolucionar o segmento de voos de curta distância.

A Zunum Aero está desenvolvendo e construindo aviões com 10 a 50 assentos para viagens de 1.100 quilômetros, inicialmente, e até 1.600 quilômetros até 2030. A aeronave preencheria uma "enorme lacuna do transporte regional" e reduziria os tempos de viagem dos corredores movimentados em até 40% e em 80% em áreas com tráfego menor, afirmou a Zunum em comunicado, nesta quarta-feira (5).

A Boeing e a JetBlue estão entrando na corrida das empresas aeroespaciais e de aviação para procurar investimentos em empreendimentos em fase inicial e vigiar tecnologias que poderiam transformar o setor de transporte. A fabricante de aviões europeia Airbus criou um fundo, capitalizado com um compromisso inicial de US$ 150 milhões, e abriu um centro no Vale do Silício em 2015.

"Estamos mirando além do horizonte", disse Steve Nordlund, que lidera a Boeing HorizonX, o novo braço de capital de risco da fabricante com sede em Chicago. "Estamos analisando parcerias tradicionais e não tradicionais que nos ajudem a acelerar a inovação e oportunidades de mercado."

Além da Zunum, a HorizonX está investindo também na Upskill, uma companhia que combina realidade aumentada como Google Glasses e tecnologia de vestir para ampliar a produtividade para os fabricantes e para empresas de logística e de serviços de campo. A Boeing usou seus produtos para reduzir em 25% o tempo de produção gasto pelos mecânicos para a instalação de 200 quilômetros de cabos em cada um dos jatos jumbo 747-8 da companhia.

Inovações revolucionárias

A nova unidade da Boeing, que reporta ao diretor financeiro Greg Smith, substitui a Boeing Ventures. Essa divisão de investimentos com sede em St. Louis se limitava a respaldar empreendedores dos setores de defesa e espacial como a Insitu, uma fabricante de drones que Nordlund ajudou a criar e em 2008 vendeu à Boeing.

A Boeing HorizonX se concentrará em três áreas: investimento em novos empreendimentos e startups, exploração de novas oportunidades de negócios para as capacidades aeroespaciais da companhia e avaliação de inovações revolucionárias e de estratégias de negócios.

A divisão está analisando tecnologias como autonomia, inteligência artificial, fabricação aditiva e sistemas de propulsão alternativa -- como o sistema híbrido-elétrico que moveria a aeronave da Zunum.

Fundada em 2013, a Zunum espera concluir seu primeiro avião até 2020. A empresa com sede em Kirkland, Washington, informou que está trabalhando com a Administração Federal de Aviação dos EUA no desenvolvimento de normas de certificação para aeronaves elétricas. A empresa aguarda um conjunto completo de padrões para 2018.

"Nós acreditamos que, assim como a Tesla está revolucionando a indústria automotiva, a propulsão elétrica revolucionará o setor aéreo regional", disse Bonny Simi, presidente da JetBlue Technology Ventures, em entrevista, em referência à fabricante de automóveis Tesla. "Investindo agora, teremos literalmente um assento à mesa para ver como essa tecnologia evolui."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos