Bolsas

Câmbio

Uber cede Rússia à Yandex com acordo de fusão de US$ 3,7 bi

Eric Newcomer

(Bloomberg) -- A Uber Technologies está entregando as chaves de seu negócio na Rússia.

A empresa com sede em São Francisco e a Yandex estão combinando seus negócios de carona compartilhada na Rússia. A Uber investirá US$ 225 milhões e assumirá uma participação de 36,6 por cento em uma nova empresa ainda sem nome, que será avaliada em US$ 3,73 bilhões, afirmaram as companhias em comunicado divulgado nesta quinta-feira. As ações da Yandex, que investirá US$ 100 milhões e terá 59,3 por cento da nova empresa, subiram 19 por cento no início do pregão em Nova York, para US$ 32,44, seu nível mais alto em três anos.

O acordo com a Yandex é a segunda retirada da Uber de um grande mercado. No ano passado, a Uber deixou a China em troca de uma participação de 17,5 por cento na rival Didi Chuxing após perder mais de US$ 2 bilhões na disputa com a concorrente. A Uber continua sendo a operadora dominante nos EUA, mas está na defensiva, assediada por escândalos que levaram à saída de Travis Kalanick do cargo de CEO. O acordo com a Yandex faz parte do novo esforço da Uber para melhorar receitas, reduzir prejuízos e resolver problemas legais.

"Este acordo atesta nosso crescimento excepcional na região e ajuda a Uber a continuar construindo um negócio global sustentável", disse Pierre-Dimitri Gore-Coty, chefe da Uber para a Europa, o Oriente Médio e a África, no comunicado.

Tigran Khudaverdyan, chefe da Yandex.Taxi na Rússia, se tornará CEO da empresa combinada, informaram a Uber e a Yandex. Juntas, as duas empresas englobam 35 milhões de viagens por mês e também operam no Cazaquistão, no Azerbaijão, na Armênia, na Bielorrússia e na Geórgia. O acordo deverá ser concluído no último trimestre de 2017.

A saída da Uber da Rússia pode estabelecer um precedente para mais negócios em outros mercados grandes com concorrência acirrada. Os investidores levantaram dúvidas neste mês em relação aos prejuízos contínuos da Uber na Índia e no Sudeste Asiático, questionando em privado se não seria melhor para a companhia fechar acordos com as líderes de mercado Ola e Grab, disseram duas pessoas com conhecimento do assunto.

Os prejuízos da Uber antes de juros, impostos e remunerações baseadas em ações totalizaram US$ 708 milhões nos três primeiros meses do ano, uma melhora em relação ao prejuízo de US$ 991 milhões registrado no trimestre anterior. Os prejuízos encolheram ainda mais no último período, informou a Uber recentemente aos investidores. A receita líquida foi de US$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre, segundo o método contábil mais conservador da empresa.

Na Rússia, a Yandex.Taxi acumula reservas brutas de US$ 1,01 bilhão em uma base anualizada, enquanto a Uber teve US$ 566 milhões, segundo uma apresentação preparada para os investidores. A nova empresa "terá o direito de usar as marcas Yandex.Taxi e Uber na região", explicaram as empresas. Os aplicativos de ambas as companhias de carona compartilhada continuarão sendo oferecidos e o aplicativo para motoristas se transformará em uma plataforma única. As empresas também operarão o serviço de entrega de alimentos UberEATS.

"Muitos de nós que trabalhamos na Yandex sentimos que todos já mudaram para a carona compartilhada, mas na realidade estamos apenas no início dessa jornada", escreveu Khudaverdyan em uma postagem de blog.

--Com a colaboração de Ilya Khrennikov

Versão em português: Patricia Xavier em Sao Paulo, pbernardino1@bloomberg.net.

Repórter da matéria original: Eric Newcomer em San Francisco, enewcomer@bloomberg.net.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos