Bolsas

Câmbio

Roubos de Ethereum custaram US$ 225 mi a vítimas neste ano

Lulu Yilun Chen e Yuji Nakamura

(Bloomberg) -- Aqui está outro motivo para se suspeitar sobre o ritmo surpreendente de oferta de moedas que ocorre no mundo da criptografia: uma em cada 10 pessoas tem a chance de se tornar vítima de roubo.

Os golpes de fraude eletrônica ajudaram a aumentar as perdas criminais para cerca de US$ 225 milhões este ano, de acordo com Chainalysis, uma empresa com sede em Nova York que análisa transações e fornece software anti-lavagem de dinheiro. Em tais fraudes, os investidores são enganados no envio de dinheiro para endereços de internet que pretendem financiar sites de ofertas de tokens digitais relacionados à tecnologia de cadeias de blocos ethereum.

Mais de 30.000 pessoas foram vítimas de crime cibernético relacionado ao ethereum, perdendo uma média de US$ 7.500 cada, com as ICOs acumulando cerca de US$ 1,6 bilhão em procedimentos este ano, estima-se.

"É uma enorme quantidade de dinheiro para gerar em tão curto período de tempo", disse Jonathan Levin, co-fundador da Chainalysis, cujo software e banco de dados são usados ??por algumas das maiores empresas de bitcoin e agências de aplicação da lei dos EUA. "Os phishers de criptografia estão fazendo muito bem contra todos os outros tipos de criminosos que estão por aí".

Na verdade, a enorme quantidade de riqueza que sucumbiu a criminosos cibernéticos está se aproximando das perdas incorridas por roubos nos EUA durante todo o ano de 2015, que foi de US$ 390 milhões, de acordo com estatísticas divulgadas pelo Federal Bureau of Investigation.

As ICOs são vendas de token digitais, normalmente, que levantam o ethereum, com os usuários transferindo os fundos para os endereços fornecidos pelas startups. Os investidores, às vezes ansiosos para obter acesso antecipado a novas ofertas de token, foram enganados ao fornecer suas credenciais a sites falsos através de campanhas direcionadas de e-mail, postagens no Twitter e mensagens dobradas, disse Levin.

Leia mais sobre os pontos de vista de um co-fundador de Ethereum sobre ICOs

A maioria dos ataques envolve a criação de sites ou contas de redes sociais que parecem com o verdadeiro projeto ICO. Levin deu o exemplo fictício de um projeto chamado "iluminar", que um impostor poderia falsificar ao soletrá-lo como "iuminar". Usando a conta falsa, eles solicitariam investidores potenciais para enviar dinheiro ao endereço do criminoso.

Sua empresa compilou os dados, identificando as chamadas carteiras digitais usadas por golpistas. Essa informação geralmente é pública porque os criminosos circulam amplamente, esperando enganar os investidores para que lhes enviem dinheiro.

Outras formas comuns de criminalidade envolvem explorar as lacunas do projeto. O DAO, ou organização autônoma descentralizada, é um projeto de contrato inteligente construído sobre o ethereum que teve como objetivo democratizar a forma como os projetos de ethereum são financiados. Um erro no sistema foi explorado e isso levou ao Roubo de US $ 55 milhões Vale no momento.

Leia mais sobre como as startups tecnológicas estão abandonando o capital de risco para ICOs

Levin não forneceu dados para o cibercrime relacionado com bitcoína, e não porque é mais seguro. Ele disse que esses dados são mais difíceis de rastrear, pois os golpes geralmente são ataques específicos aos detentores individuais, ao invés de campanhas relacionadas à ICO que tentam enganar muitas pessoas ao mesmo tempo.

"As figuras gerais significam que há infraestrutura que precisamos construir para ajudar a evitar que as pessoas sejam abusadas", disse Levin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos