Bolsas

Câmbio

Nova York exigirá que arranha-céus reduzam emissão de carbono

Christopher Martin

(Bloomberg) -- A cidade de Nova York exigirá que os grandes edifícios reduzam as emissões de gases causadores do efeito estufa como parte do objetivo da cidade de diminuir as emissões totais em 80 por cento até 2050.

O prefeito Bill de Blasio está exortando os proprietários a reduzirem o uso de combustíveis fósseis e a aumentarem a eficiência energética, e afirmou que Nova York é a primeira grande cidade a impor reduções ao carbono em edifícios já existentes, segundo comunicado de quinta-feira. A cidade ajudará a apoiar adaptações e atualizações por meio de empréstimos a juros baixos ligados às avaliações do imposto sobre a propriedade.

Os edifícios representam cerca de um terço dos gases causadores do efeito estufa globais e muitas cidades estão exigindo atualizações depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu, em junho, retirar o país do Acordo de Paris. A queima de combustíveis fósseis para calefação e água quente nos edifícios é a principal fonte de emissões de Nova York e as novas políticas deverão reduzi-las em 7 por cento até 2035.

"Devemos mudar essa dependência dos nossos edifícios em relação aos combustíveis fósseis aqui e agora", disse Blasio no comunicado. "O tempo não está do nosso lado." O plano será promulgado em legislação que será apresentada pelo vereador Costa Constantinides.

As regras se aplicam a todos os edifícios com mais de 2.300 metros quadrados. Para cumprir os limites obrigatórios dos combustíveis fósseis, os proprietários farão melhorias em caldeiras, aquecedores de água, telhados e janelas. A medida incluiria o Trump Tower, com 69.600 metros quadrados, construído em 1983.

Os edifícios que não cumprirem serão multados de acordo com seu tamanho. Por exemplo, se um prédio com mais de 92.900 metros quadrados exceder suas metas, será multado em US$ 2 milhões por ano.

A cidade também autorizará um programa para financiar reformas de atualização por meio das avaliações dos impostos sobre propriedade a juro baixo, um formato que pode reduzir os custos dos empréstimos, segundo o comunicado. Por exemplo, um edifício de apartamentos com 54 unidades no Bronx que tiver substituído recentemente sua caldeira e investido em melhorias de eficiência economizaria US$ 8.000 por ano em pagamentos de dívidas por meio do programa, chamado Property Assessed Clean Energy. O PACE poderia financiar US$ 100 milhões por ano em reformas para atualização na cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos