PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Amazon terá marca própria de roupa esportiva, dizem fontes

Lindsey Rupp e Daniela Wei

16/10/2017 14h27

(Bloomberg) -- A Amazon.com está recorrendo a alguns dos maiores fornecedores de vestuário de ginástica para fazer uma incursão pelas roupas esportivas com uma marca privada, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, preparando o cenário para agitar ainda mais um setor já tumultuado.

A Makalot Industrial, um fornecedor taiwanês que produz roupas para a Gap, a Uniqlo e a Kohl's, está fabricando roupas para a linha da Amazon, disse uma pessoa com conhecimento do acordo. A Eclat Textile, outro fornecedor taiwanês, também contribui nessa iniciativa ? um relacionamento observado por Silvia Chiu, analista da SinoPac Securities.

O projeto é novo e ainda não foram assinados contratos de longo prazo, de acordo com as pessoas envolvidas. Os fabricantes estão produzindo pequenas quantidades de produtos para a Amazon como parte de um teste, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque a iniciativa ainda não foi anunciada publicamente.

A Amazon já se aventurou com marcas privadas de moda, que oferecem roupas para trabalhar, casacos e vestidos com nomes como Goodthreads e Paris Sunday. Mas uma incursão pelas roupas de ginástica representaria uma nova concorrência para algumas das maiores marcas de roupas esportivas do mundo.

O envolvimento da Eclat é especialmente notável, porque a companhia produz roupas para a Nike, a Lululemon Athletica e a Under Armor, e possui conhecimentos importantes sobre a fabricação de roupas esportivas de alto desempenho.

As ações da Lululemon chegaram a cair 4,9 por cento, para US$ 57,55, depois que a Bloomberg relatou as iniciativas da Amazon no ramo de roupas esportivas na sexta-feira. A Under Armour chegou a recuar 2,8 por cento. A Nike também caiu, embora suas ações tenham se recuperado e fechado com uma alta de 0,3 por cento, a US$ 50,98.

A Amazon, com sede em Seattle, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Lacunas no estoque

A iniciativa é uma má notícia para empresas de roupas para atividades físicas, que já estão tendo dificuldades para se destacar em um mar de concorrentes e descontos. No mês passado, a Nike informou que espera que as vendas diminuam novamente neste trimestre na América do Norte. A Under Armour, por sua vez, reduziu sua projeção de vendas anuais em agosto.

A Lululemon melhorou neste ano, mas também está enfrentando uma concorrência mais forte no mercado de calças de ioga e outros itens do vestuário esportivo. Esse ambiente implacável na América do Norte levou a empresa a buscar crescimento no exterior.

A Amazon desenvolveu suas próprias marcas em parte porque elas preenchem lacunas em seu estoque. Se os clientes estiverem procurando determinado tipo de sapato ou saia e não houver muitas opções das marcas estabelecidas, a Amazon quer poder oferecer suas próprias opções. Muitas vezes, os compradores talvez não percebam que as marcas ? como Scout + Ro e North Eleven ? são de propriedade da Amazon.

Isso também dá um recado para as marcas que relutam em vender seu catálogo completo na Amazon. Se os compradores não conseguirem encontrar seus produtos no site, a Amazon fará seus próprios substitutos e se tornará uma concorrente.

--Com a colaboração de Matthew Townsend e Spencer Soper

PUBLICIDADE