Bolsas

Câmbio

Bitcoin não conquista gigantes das finanças na Escandinávia

Tasneem Hanfi Brögger

(Bloomberg) -- Primeiro o CEO do Nordea Bank a chamou de "piada" e de construção "absurda". Depois os bancos dinamarqueses informaram que não tocariam em dinheiro proveniente da especulação com bitcoin. Agora um dos maiores investidores da Escandinávia revela seu ceticismo.

O ATP, maior fundo de pensão da Dinamarca, com cerca de US$ 120 bilhões em ativos sob gestão, afirma que está evitando o bitcoin apesar dos sinais de que a criptomoeda está ganhando presença no mercado de derivativos.

"É possível, claro, sentar e ler sobre o projeto técnico, mas o bitcoin e o papel que deveria desempenhar são algo que basicamente não nos deixa à vontade", disse o diretor de investimentos do ATP, Kasper Ahrndt Lorenzen, em entrevista em Copenhague.

"Acho que é preciso simplesmente ser humilde como investidor", disse ele. "Quando alguém não se sente à vontade com algo, precisa ser um pouco humilde e não embarcar."

Segundo Casper von Koskull, o CEO do Nordea, não faz sentido permitir a popularização de uma classe de ativo manchada por associação com má conduta financeira.

"Não entendo", disse von Koskull. "Quando consideramos todos os crimes financeiros e toda a regulação, como o bitcoin se encaixa?"

"Se de alguma forma for permitido que isto exista sem controles, considerando os bilhões que gastamos em regulação financeira enquanto sistema financeiro, quero dizer, considero realmente uma piada que simplesmente deixem algo como o bitcoin existir", disse von Koskull. "Não entendo, é absurdo."

Na Dinamarca, o Danske Bank A/S está entre os bancos que afirmam que não permitirão que os clientes depositem retornos obtidos com especulação com bitcoin, segundo o jornal Borsen. O banco central dinamarquês deixou claro que não considera o bitcoin uma forma de dinheiro devido à ausência de um emissor oficial. Em vez disso, o banco define o bitcoin como um ativo sem nenhum valor intrínseco do tipo que, por exemplo, os metais preciosos têm.

Lorenzen, do ATP, também questiona a designação do bitcoin como moeda.

"Simplesmente não acreditamos que o bitcoin chegou ao ponto de ser tratado como criptomoeda", disse ele. "Se fôssemos investir em uma criptomoeda, nossa mentalidade funciona de tal forma que precisaríamos ter hedge cambial. E faríamos isso com base nos prêmios de risco estabelecidos. O bitcoin não tem um prêmio de risco estabelecido."

Mas há uma crescente comunidade de convertidos ao bitcoin que nos últimos tempos elevou o preço a alturas vertiginosas, superando a casa dos US$ 14.000, e os investidores esperam que o uso de contratos de futuros ajudará a criptomoeda a ganhar legitimidade.

A Cboe Global Markets anunciou que começará a negociar futuros de bitcoin em 10 de dezembro e os contratos da CME Group deverão estrear em 18 de dezembro. A Nasdaq planeja oferecer futuros em 2018, segundo uma pessoa a par do assunto. A Cantor Exchange, da Cantor Fitzgerald, está criando um derivativo de bitcoin e a startup LedgerX já oferece opções. Também é possível investir em bitcoin por meio de notas negociadas em bolsa na Escandinávia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos