ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Fundo saudita está de olho na dona do Miss Universo: Fontes

Dinesh Nair, Ruth David, Anousha Sakoui e Matthew Martin

16/01/2018 16h12

(Bloomberg) -- O fundo de riqueza soberana da Arábia Saudita está em negociações para comprar uma participação na Endeavor, a companhia controladora da agência de talentos de Hollywood WME, disseram pessoas a par do assunto.

O Public Investment Fund, conhecido como PIF, está em discussões preliminares para investir mais de US$ 500 milhões, o que ajudará a agência de talentos que representa Ben Affleck e Matt Damon a expandir suas operações, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque a informação é privada. A participação poderia variar entre 5 por cento e 10 por cento, embora o tamanho final e a avaliação ainda estejam sendo negociados, disseram.

As discussões estão em andamento e nenhuma decisão final foi tomada, segundo as pessoas.

A Endeavor foi avaliada em US$ 6,3 bilhões, incluindo dívidas, quando arrecadou dinheiro em agosto de 2017, disse na época uma pessoa com conhecimento do assunto, e seu patrimônio líquido foi avaliado em US$ 5 bilhões. Entre seus investidores atuais estão a Silver Lake, o SoftBank Group, o fundo soberano de Cingapura e o Conselho de Investimento do Plano de Pensões do Canadá.

Representantes do PIF, da Endeavor e da Silver Lake preferiram não comentar.

Um investimento daria dinheiro à Endeavor para financiar sua crescente rede de negócios de entretenimento, esportes e moda. O CEO Ari Emanuel e o presidente Patrick Whitesell impulsionaram a Endeavor para além de suas origens, a agência de talentos que dá nome à empresa.

Cinemas sauditas

A Endeavor administra a WME, que representa estrelas de cinema, diretores, produtores de TV e músicos. A empresa também é dona da Professional Bull Riders, da Miss Universe Organization e da IMG, uma empresa de esportes e moda. A Endeavor concluiu sua maior transação até 2016 quando adquiriu o Ultimate Fighting Championship, a empresa de artes marciais mistas.

Em dezembro, a Arábia Saudita decretou o fim da proibição dos cinemas públicos imposta na década de 1980, mais um passo nos esforços do reino para diversificar sua economia, afastando-a do petróleo, e fortalecer sua indústria de entretenimento. Estima-se que os primeiros cinemas estilo multiplex abrirão em março de 2018, informou o Ministério da Cultura e da Informação em um comunicado no mês passado. O objetivo é chegar a 2.000 telas em mais de 300 cinemas até 2030 e espera-se que o setor contribua com cerca de US$ 24 bilhões para a economia e adicione mais de 30.000 empregos permanentes, afirmou.

Separadamente, o PIF também está investindo em uma cidade de entretenimento perto de Riad, uma das várias grandes incorporações imobiliárias que o fundo está financiando na Arábia Saudita.

O impulso à indústria do entretenimento é uma parte fundamental da estratégia do fundo de riqueza saudita nos próximos anos. O PIF estabelecerá uma nova empresa de investimento em entretenimento que deverá investir até 10 bilhões de riyals (US$ 2,67 bilhões), de acordo com a estratégia do fundo para 2020, publicada no ano passado.

--Com a colaboração de Ed Hammond Nabila Ahmed e Lucas Shaw

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia