PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

AB InBev se reorganiza após impacto de marketing no 2º trimestre

Thomas Buckley

26/07/2018 12h12

(Bloomberg) -- A Anheuser-Busch InBev simplificou sua estrutura global de gerenciamento depois que os gastos com marketing na Copa do Mundo prejudicaram o crescimento dos lucros da maior cervejaria do planeta no segundo trimestre.

A companhia, com sede em Lovaina, na Bélgica, tenta se tornar mais ágil passando de nove para seis regiões geográficas, e as novas áreas América Central, América do Sul e Ásia-Pacífico combinam regiões que antes estavam separadas, segundo um comunicado desta quinta-feira. As mudanças fazem parte de um esforço contínuo para integrar a SABMiller, adquirida pela empresa em 2016 por mais de US$ 100 bilhões.

"Estamos agora perto de dois anos na nova empresa após a integração e sentimos que este é o momento certo para ajustar nossa estrutura para que ela reflita melhor as oportunidades que temos", disse o diretor financeiro Felipe Dutra em uma teleconferência com jornalistas. A remodelação é basicamente um exercício de crescimento de vendas, mas também pode ajudar a reduzir custos, disse ele.

As mudanças ocorrem em um momento em que a fabricante de Stella Artois anunciou que os resultados subiram 7 por cento, para US$ 5,57 bilhões, em uma base ajustada antes de juros, impostos, depreciação e amortização. Analistas consultados pela Bloomberg projetam um crescimento de 8 por cento. As ações chegaram a cair 4,9 por cento no início do pregão em Bruxelas, a maior queda desde novembro de 2016.

A campanha da Copa do Mundo para a Budweiser, a principal cerveja lager da AB InBev, começou em maio, enquanto a empresa se preparava para enfrentar a Carlsberg, líder de mercado na Rússia, sede do campeonato. A AB InBev está tentando gerar mais receita com torneios esportivos e eventos sociais porque o surgimento de marcas menores na última década afastou os consumidores de suas cervejas do mercado de massa. Para enfrentar esse desafio, a empresa está investindo US$ 2 bilhões na promoção de suas marcas e no aprimoramento das cadeias de abastecimento nos EUA.

A cervejaria tinha previsto um obstáculo para o crescimento dos resultados entre 0,5 ponto percentual e 1 ponto percentual por causa do aumento dos gastos com a Copa do Mundo e havia afirmado que o peso do marketing seria maior no segundo trimestre.

A reestruturação da AB InBev também coloca o marketing e a unidade incubadora da empresa, ZX Ventures, sob a mesma liderança e cria novos cargos executivos para supervisionar as bebidas não alcoólicas e o varejo da empresa. As mudanças entrarão em vigor em 1º de janeiro.

A AB InBev cortou mais US$ 199 milhões em custos no segundo trimestre com a aquisição da SABMiller, mas os benefícios foram parcialmente compensados pelo aumento dos gastos com marketing.

No Brasil, a empresa, assim como a Unilever, mencionou os contratempos da greve dos caminhoneiros no País, que atrasou as remessas. O problema foi mitigado pelas vendas altas durante a Copa do Mundo, afirmou a AB InBev.

As iniciativas de marketing ajudaram a empresa a vender mais cerveja nos estádios durante a Copa do Mundo do que no torneio de 2014, realizado no Brasil.