PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Nordea estabelece novo padrão e seres humanos perdem para robôs

Niklas Magnusson

30/07/2018 11h44

(Bloomberg) -- Algo interessante aconteceu no setor financeiro sueco no último trimestre. O único grande banco que conseguiu reduzir custos também está por trás de um dos planos mais ousados do setor para substituir seres humanos por automação.

O Nordea Bank, cujo CEO Casper von Koskull diz que seu setor poderia ficar com apenas metade de sua atual força de trabalho humana daqui a uma década, eliminará 6.000 desses empregos. Von Koskull afirma que o ajuste é o único modo de se manter competitivo no futuro e que a automação e os robôs substituirão as pessoas em tudo, de gerenciamento de ativos a atender ligações de clientes do varejo.

Enquanto muitos no setor financeiro têm tido dificuldade para digerir essa mensagem, o mais recente conjunto de resultados bancários na Suécia sugere que os executivos de um dos lugares mais tecnologicamente avançados do planeta estão se inspirando no Nordea.

No SEB, o CEO Johan Torgeby agora diz que "tudo o que puder ser automatizado será automatizado".

O Nordea, que é o único banco da região nórdica com importância sistêmica global, observou uma queda de 11 por cento nos custos totais no segundo trimestre em relação ao ano anterior, e o número de funcionários caiu 8 por cento, para cerca de 29.300. Em comparação, o Barclays, que tem aproximadamente o mesmo valor de mercado que o Nordea, tinha quase 80.000 funcionários no final de 2017, de acordo com os números mais recentes. (Na verdade, os ativos do Barclays são mais de duas vezes maiores que os do Nordea.)

O SEB, o Svenska Handelsbanken e o Swedbank reconhecem que adicionar tecnologia é fundamental. Mas eles têm ideias diferentes sobre até que ponto os seres humanos precisam ser substituídos por robôs e têm sido muito mais contidos que o Nordea na eliminação de empregos. Alguns bancos inclusive fizeram contratações para adicionar especialistas em tecnologia e cientistas da computação.

Os custos mais baixos ajudaram o Nordea a registrar um aumento anual de 31 por cento no lucro operacional no último trimestre, o melhor desempenho entre os quatro principais bancos da Suécia. E, depois de esperar cerca de um ano para que o plano digital do Nordea rendesse frutos, os investidores foram recompensados quando o relatório de resultados do banco provocou o melhor desempenho das ações desde o início de fevereiro.

Outros bancos suecos agora estão tentando automatizar mais aspectos e mais rapidamente. Torgeby, do SEB, diz que não há dúvida de que a nova tecnologia esteja "impactando o comportamento dos clientes e revolucionando os modelos de negócios existentes dos bancos".

Mas, até agora, o único banco sueco que registrou uma queda significativa no número de funcionários foi o Nordea. Cerca de 2.500 menos pessoas trabalhavam lá no final do segundo trimestre do que um ano antes. Enquanto isso, o número de funcionários nos outros três bancos permaneceu praticamente inalterado.

Von Koskull diz que o setor financeiro não é o único que precisa passar por esse ajuste.

"Todos nós precisamos entender que nosso setor, e muitos outros setores e a sociedade, está passando por uma enorme mudança", disse ele em uma entrevista no início deste mês. E "precisamos estar preparados para isso".

--Com a colaboração de Rafaela Lindeberg e Donal Griffin.