PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Enfrentando turbulência, BCs asiáticos recorrem a redes sociais

Michelle Jamrisko, Tassia Sipahutar e Siegfrid Alegado

24/08/2018 18h04

(Bloomberg) -- A situação econômica está mais traiçoeira e bancos centrais do Sudeste Asiático agora recorrem a Facebook e YouTube para espalhar suas mensagens.

O da Tailândia adotou streaming ao vivo do anúncio de política monetária em agosto, como fez o das Filipinas três meses antes. A autoridade monetária da Indonésia tem mais seguidores no Twitter do que o americano Federal Reserve e todo mês transmite suas decisões.

As redes sociais estão sendo usadas para manter a calma nos mercados e explicar decisões de modo mais direto, chegando às famílias que sofrem com a turbulência cambial e os reajustes de preços. Dos cinco principais bancos centrais da região formada por Indonésia, Tailândia, Cingapura, Filipinas e Malásia, somente o órgão tailandês não apertou a política monetária neste ano.

"As mensagens definitivamente ficaram mais claras e firmes e estão sendo levadas adiante", disse Priyanka Kishore, responsável pela cobertura de Índia e Sudeste Asiático na Oxford Economics, em Cingapura. "Parte disso é educação" para o público. Para o mercado, a ideia é "criar percepção e influenciar decisões de analistas".

Tradicionalmente, Malásia e Cingapura só publicavam comunicados escritos sobre suas decisões de política monetária. Os outros bancos centrais do Sudeste Asiático partiram para o streaming de vídeo.

Tailândia

As autoridades usaram o Facebook Live pela primeira vez em 8 de agosto, transmitindo a decisão de manter a taxa de juros inalterada.

O Facebook Live é "uma extensão da mensagem estática no Facebook, que permite ao público em geral e analistas seguir eventos do banco central diretamente e quando for conveniente", disse o porta-voz Chantavarn Sucharitakul.

Segundo ele, a sessão de perguntas e respostas ainda é restrita a profissionais de mídia.

Indonésia

A chegada do novo presidente, Perry Warjiyo, ampliou a presença do banco central nas redes sociais. A transmissão ao vivo de reuniões pelo YouTube ? que começou com frequência trimestral em novembro de 2015 ? agora acontece mensalmente.

A entidade tem canal no YouTube e no ano passado abriu uma conta no Instagram. Seu feed no Facebook vem desde 2016 e o banco central é popular no Twitter.

"A comunicação ficou mais intensa porque o presidente Perry acredita que transparência e comunicação são parte integral da trajetória do banco central para fortalecer a credibilidade de suas medidas", disse um porta-voz.

Filipinas

O banco central fez no começo de agosto a terceira transmissão ao vivo do anúncio de política monetária por streaming. Na ocasião, a taxa básica de juros teve acréscimo acima da média, de 0,50 ponto percentual, para conter a inflação.

"Esperamos que as transmissões ao vivo nos ajudem a expandir o entendimento dos filipinos sobre política monetária", afirmou o presidente do BC, Nestor Espenilla.

--Com a colaboração de Suttinee Yuvejwattana.

Repórteres da matéria original: Michelle Jamrisko em Washington, mjamrisko@bloomberg.net;Tassia Sipahutar em Jacarta, ssipahutar@bloomberg.net;Siegfrid Alegado em Manila, aalegado1@bloomberg.net